bettingpro - Startup – bettingpro – bettingprohttps://www.ilyyt.comAcesse conteúdos jornalísticos, nos mais variados formatos, focados na informação como aliada das micro e pequenas empresasTue, 06 Feb 2024 00:51:24 +0000pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=6.2.4bettingpro - Startup – bettingpro – bettingprohttps://www.ilyyt.com/inovacao-e-tecnologia/o-que-os-investidores-procuram-em-2024-veja-no-quinto-episodio-de-a-jornada/Tue, 06 Feb 2024 12:00:18 +0000https://www.ilyyt.com/?p=20193Todofounderdestartup sabe que é preciso crescer e escalar as vendas para fazer um exit bem-sucedido. Para acelerar esse processo, é importante entender como os investidores pensam e que projetos procuram. O novo episódio dopodcast A Jornada  – disponível nas principais plataformas de áudio e no Youtube  – traz o investidor Romero Rodrigues em uma entrevista bastante informal com Yuri Gitahy, fundador da Lean VC.

Nele, o co-fundador do Buscapé e gestor da Headline Capital conta sua trajetória desde 1998 até os dias de hoje. Ele também fala sobre como está  o ecossistema de investimentos, as perspectivas para 2024 e dá dicas a partir da sua visão empreendedora e investidora.

O Buscapé foi uma empresa criada em 1999 por amigos recém-formados na faculdade, mas que acabou se tornando um dos maioresexits de tecnologia do Brasil 20 anos depois.  “Foi muito bacana termos começado cedo. Nós enfrentamos muitas dificuldades, mas também tivemos a vantagem de, ao desbravar o mercado, conseguir ‘abocanhar’ parte disso”, conta Romero.

Apesar de terem iniciado em uma época em que a internet não era popular, o convidado destaca o alinhamento das expectativas entre os sócios e os objetivos da empresa, ainda no início do negócio, como sendo algo essencial para o crescimento da empresa. “Esse alinhamento entre os sócios é muito bom e vai além do que um casamento: você passa mais tempo com os founders do que com a sua esposa, é fato. Mesmo sendo umas das primeiras experiências de cada um, fomos muito sortudos e bem-sucedidos na maneira como montamos o time de fundadores. Somos amigos até hoje”, reforça.

Você já é assinante da nossa newsletter? Cliqueaqui e se inscreva para receber todas as novidades e conteúdos inéditos do Sebrae Startups.

Quando perguntado sobre o que costuma analisar antes de investir em uma empresa, Romero cita três critérios: time, mercado e dor atendida: “O principal e mais importante é o time [..]. Segundo, o mercado, que precisa ser grande. Isso não significa que não possam existir empresas menores maravilhosas, mas é um risco adicional para os investidores. Terceiro, qual é a dor que esse time talentoso resolve neste mercado muito grande. Quanto maior a dor, maior a chance de conseguir monetizar e criar um negócio grande”, explica.

Descubra os detalhes da trajetória de Romero e quais startups ele procura para investimento em 2024 no quinto episódio do podcast A Jornada , que  está disponível nas plataformas SpotifyApple PodcastsAmazon Music, Deezer e na playlist do Sebrae Startups no Youtube.

Sobre

A Jornada é umpodcast do Sebrae Startups, plataforma que agrega todas as iniciativas do Sebrae no Brasil para startups, apresentado por Yuri Gitahy. Cada episódio conversa com empreendedores que trilharam caminhos difíceis quanto qualquer startupeiro. Com isso, opodcast busca apoiar e acompanhar founders destartups do MVP à escala com dicas e temas importantes.

]]>
bettingpro - Startup – bettingpro – bettingprohttps://www.ilyyt.com/inovacao-e-tecnologia/inscricoes-para-a-ultima-etapa-do-catalisa-ict-terminam-em-31-de-janeiro/Wed, 24 Jan 2024 14:00:58 +0000https://www.ilyyt.com/?p=19906Deep techs(startups com origem em pesquisas acadêmicas) de todo o país têm somente até o dia 31 de janeiro para participar do Edital Catalisa ICT Projetos de Inovação. Esse edital vai destinar cerca de R$ 16,3 milhões para 140 projetos de inovação. Por nove meses, até dois pesquisadores de cada empresa receberão uma bolsa no valor de R$ 6,5 mil, além de capacitação, mentorias e a participação em ações de conexão com o mercado.

Acesse o edital aqui.

O Catalisa ICT é promovido pelo Sebrae em parceria com diversas entidades do ecossistema nacional de inovação, com o objetivo de acelerar negócios inovadores de base tecnológica, além de promover a aproximação entre universidades e mercado. O Catalisa ICT compreende quatro etapas: a primeira, realizada em 2020, foi a de mobilização dos pesquisadores e o despertar para empreender. Na sequência, os participantes aprenderam a estruturar seus projetos. Entre 2021 e 2022, começaram a desenvolver e a testar seus produtos. Agora é a hora de escalar essas iniciativas inovadoras.

“A participação na etapa anterior do Catalisa ICT capacita os pesquisadores empreendedores para participar desse edital, mas não é pré-requisito. A exigência é que o projeto tenha no mínimo grau de maturidade tecnológica (TRL- Technology Readiness Level) 5, ou seja, estar em fase de testes em ambiente simulado”, destaca a analista de inovação do Sebrae, Adriana Dantas.

Para ser selecionado, o projeto de inovação deve ter aplicação em uma das seguintes áreas: saúde, farmácia e cosméticos; agropecuária e aquicultura; sustentabilidade socioambiental e florestal; equipamentos para a indústria ou para serviços; equipamentos eletroeletrônicos; logística ou transporte; educação; telecomunicação e infraestrutura de redes; tecnologia de Informação e Comunicação (hardware/software); indústrias de alimentos e bebidas; de construção; de metal, mecânica, automobilística; aeroespacial; naval; extrativa, de petróleo, gás e energia; além de indústria química e novos materiais. Além disso, 30% das vagas serão destinadas para empresas que estejam situadas nas regiões Norte, Nordeste ou Centro-Oeste do Brasil.

Parceria

Desde 2020, o Sebrae já investiu, por meio do Catalisa ICT, R$ 40 milhões em bolsas, auxílios, mentorias e acesso a serviços tecnológicos. Cerca de 3 mil pesquisadores brasileiros foram atendidos por meio da ação. Além disso, o Sebrae construiu um catálogo com mais de 170 empresas que têm soluções tecnológicas inovadoras e que estão aptas a receber investimentos.

Para execução do Catalisa ICT, o Sebrae conta com a colaboração do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI); do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI); do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (CONFAP); da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec); do Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec), entre outras.

]]>
bettingpro - Startup – bettingpro – bettingprohttps://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/8-oportunidades-de-capacitacao-para-a-sua-startup-em-2024/Mon, 22 Jan 2024 18:29:04 +0000https://www.ilyyt.com/?p=19856O Brasil é um dos países que se destacam no cenário de startups, especialmente no contexto latino-americano. Dados do Sling Hub apontam que o país tem cerca de 20 mil startups em atividade e a perspectiva é que esse número aumente cada vez mais nos próximos anos.

Inclusive, empreender e colocar em prática uma ideia inovadora são sonhos de muitas pessoas. Porém, muitas vezes isso esbarra na falta de conhecimentos específicos, seja por onde começar ou como aprimorar processos ao longo do tempo. Pensando nisso, o Sebrae, através da plataforma Sebrae Startups, oferece dezenas de cursos gratuitos para empreendedores em diferentes estágios de maturidade. Os cursos levam, em média, 15 dias para serem concluídos e geram uma certificação com verificação de autenticidade.

Confira abaixo 8 opções de cursos para iniciar o ano com mais conhecimento e, quem sabe, tirar de vez sua ideia do papel:

  • Como validar seu modelo de negócio: aprenda como fazer a validação do seu negócio e a importância de priorizar as necessidades e o feedback do seu cliente na tomada de decisão.
  • Modelagem e validação da proposta de valor: entenda a fundo as tarefas do seu cliente e os problemas que ele enfrenta para cumpri-las com as soluções atuais. Depois disso, utilize o canvas da proposta de valor para fazer o “encaixe” das necessidades do cliente com a sua solução.
  • Modelagem financeira: veja quais são os custos, modelos tradicionais e inovadores de precificação, fluxo de caixa, valuation, modelo de negócios e outros detalhes do financeiro de uma startup.
  • Inovação de impacto:compreenda o que são negócios de impacto, tese de impacto, modelo de negócio de impacto, impacto socioambiental, público, mensuração etc.

Você já é assinante da nossa newsletter? Clique aqui e se inscreva para receber todas as novidades e conteúdos inéditos do Sebrae Startups.

  • Acesso a capital:conheça os tipos de financiamento, instrumentos de fomento, captação de recursos, pitch e estratégias de negócio.
  • Acesso a mercado:estude sobre marketing digital, funil de vendas, conversão, análise de retorno, vendas, metodologia de vendas B2B.
  • Internacionalização: desenvolvido para quem quer expandir o mercado de atuação, comercializando seus produtos ou serviços em outros países.
  • Propriedade intelectual:aprenda sobre marcas, patentes e alternativas de apoio na busca de financiamento para projetos de pesquisa e desenvolvimento com o curso Propriedade Intelectual para Startups.

Sobre

O Sebrae Startups é uma plataforma que agrega iniciativas de capacitação, conexão e fortalecimento de empresas em early stage para fomentar o empreendedorismo inovador em todo o Brasil.  O novo projeto engloba a capilaridade e a força da marca Sebrae para criar a maior rede destartups da América Latina. O objetivo da plataforma é desenvolver o setor tecnológico em todas as regiões do país.

]]>
bettingpro - Startup – bettingpro – bettingprohttps://www.ilyyt.com/inovacao-e-tecnologia/qual-o-maior-desafio-atrair-ou-reter-clientes-descubra-no-quarto-episodio-do-podcast-a-jornada/Tue, 16 Jan 2024 17:06:01 +0000https://www.ilyyt.com/?p=19714Para alcançar uma base sólida de clientes, é preciso desenvolver um bom processo de atração. Por outro lado,  para garantir uma receita recorrente, é necessário focar em retenção. Mas, considerando a rotina intensa do empreendedor, quais dessas duas atividades comerciais merecem mais atenção? Ou melhor: como gerenciar esses dois aspectos?

As respostas para essas e outras perguntas estão no quarto episódio do podcast A Jornada, uma iniciativa do Sebrae Startups, apresentado por Yuri Gitahy, fundador da Lean VC,  que conta com a participação de Katiuscia Schroer, founder e CEO da Atendare, e Diego Azevedo, founder da CS Academy.

Neste episódio, que já está disponível nas principais plataformas de áudio e no YouTube, eles começam explicando como os processos de atração e retenção de clientes estão sendo tratados nas empresas.

Para Katiúscia, as estratégias utilizadas e o desenho desses processos comerciais sempre dependerão do modelo de negócio e do perfil do cliente. A convidada aponta que o inbound marketing é relevante para criar autoridade, mas também é importante focar no outbound. “Enquanto o inbound não estiver gerando resultados, não se deve ficar esperando os leads chegarem. É interessante fazer uma prospecção ativa e estratégica para entender melhor onde concentrar os esforços”, comentou.

Depois que os leads já são clientes de uma marca, é indispensável ter boas estratégias de retenção para alcançar baixas taxas de churn. Diego aborda a importância de, antes de tudo, atrair o perfil certo. “É preciso entender o cliente em todas as etapas da jornada de compra. Para isso, é necessário estudar sobre o comportamento humano e a sua persona.”

Ainda segundo o founder da CS Academy, apenas 10% da receita de uma empresa vem de novos clientes atraídos pelas estratégias de vendas e 90% vem do LTV (Lifetime Value). “Para quem está começando, o marketing voltado para vendas será a principal atividade, mas, a partir do momento que você já descobriu o seu ICP, é preciso cuidar da retenção dessa base”.

Você já é assinante da nossa newsletter? Clique aqui e se inscreva para receber todas as novidades e conteúdos inéditos do Sebrae Startups.

Sobre esse tema, Katiúscia comenta que, com o passar do tempo, é muito comum que os founders de startups, devido ao crescimento das vendas e atração de outros perfis de clientes, “esqueçam” como era, inicialmente, o seu ICP.

“Acredito que tem muita startup passando por esse cenário. Por conta do crescimento do negócio, o empreendedor não consegue estar tão presente para analisar as  métricas, entender os novos clientes que estão entrando e tomar decisões baseadas em números. […] Para mim, a empresa que não olha para o cliente está perdendo muita coisa”, reforça.

Quando perguntados sobre cross e up sell, Diego é categórico: “A estratégia de precificação precisa estar muito amarrada. É preciso ter o que vender”. Ele explica que esse aspecto deve ser pensado desde a concepção do produto. Assim, segundo ele, é possível aproveitar melhor as oportunidades para aumentar a receita.

Confira mais insights sobre atração e retenção de clientes a partir da experiência de Diego e Katiúscia no quarto episódio do podcast A Jornada , que  está disponível nas plataformas Spotify,Apple Podcasts,Amazon Music e na playlist do Sebrae Startups no Youtube.

Sobre

A Jornada é um podcast do Sebrae Startups, plataforma que agrega todas as iniciativas do Sebrae no Brasil para startups, apresentado por Yuri Gitahy. Cada episódio conversa com empreendedores que trilharam caminhos difíceis quanto qualquer startupeiro. Com isso, o podcast busca apoiar e acompanhar founders de startups do MVP à escala com dicas e temas importantes.

]]>
bettingpro - Startup – bettingpro – bettingprohttps://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/economia-da-longevidade-mercado-propoe-novos-servicos-e-produtos-para-o-publico-acima-dos-60-anos/Fri, 05 Jan 2024 12:31:01 +0000https://www.ilyyt.com/?p=19568Um mercado importante para os pequenos negócios e para quem desenvolve novos serviços e produtos voltados às pessoas com 60 anos ou mais – um contingente que já supera os 30 milhões de indivíduos. Esse é o segmento da economia da longevidade, responsável por movimentar mais de R$ 1,6 trilhão por ano no Brasil e que deve crescer ainda mais, uma vez que as projeções, daqui a 30 anos, sugerem que 1 em cada 4 brasileiros será idoso.

“É necessário pensar que essa parcela da população, formada por um consumidor diferente devido às suas características fisiológicas e sociais, tem suas deficiências físicas e cognitivas, mas tem autonomia, bom poder aquisitivo, dentre outras características. Por isso, precisa de um atendimento diferenciado por parte do lojista, do prestador de serviço, porque, diferente do que muitos pensam, esse consumidor da longevidade não consome só saúde”, explica o analista de Competitividade do Sebrae Flávio Barros.

Pensando nisso, o Sebrae elaborou um estudo que analisa as oportunidades e tendências de mercado para essa faixa etária. Os setores de segurança, turismo, saúde física e mental, cultura, mobilidade e relacionamento são os que podem mais se destacar nos próximos anos. É uma excelente oportunidade porque esse público valoriza o atendimento presencial e personalizado, são mais fiéis do que as novas gerações, não buscam tantas mudanças, entre outros benefícios. Flávio Barros compartilha algumas dicas para alcançar o sucesso com os clientes mais vividos.

É muito comum encontrarmos as lojas preparadas para atender o consumidor de faixa etária menor, o jovem, mas não para o sênior. É necessária mais paciência do vendedor, pois o idoso demora para se decidir, e o estabelecimento precisa ser acessível, dentre outras coisas. No mercado digital, que o idoso consome bastante, é importante ter anúncios com letras maiores, por exemplo.
analista de Competitividade do Sebrae Flávio Barros.

Flávio Barros ressalta que é fundamental tornar a experiência do consumidor mais prazerosa, que certamente ajudará na fidelização e que ele volte mais vezes, além de promover uma divulgação interessante para a empresa. Pensar em estratégias de filas e estacionamentos especiais, treinar a equipe e reduzir o tempo de espera contribui para a satisfação do idoso. “Uma comunicação direcionada, listas de transmissão e a busca pelo feedback chamam a atenção desse público e faz com que ele se sinta valorizado”, completa o analista.

Conheça outras dicas!

Inovação

Por ser um mercado que tem muito a ser explorado, a longevidade tem atraído empreendedores inovadores, que trazem a criatividade aliada à tecnologia para atender a esse público. Um desses casos é a CuideMe, startup do setor de saúde, localizada em Maringá (PR) e fundada por Luísa Bernardes e Camila Gonçalves. A ideia inicial surgiu da dificuldade de Luísa de cuidar dos avós a distância. Foi então que desenvolveram um relógio de emergência pessoal, que permite o acompanhamento remoto da saúde dos idosos, priorizando a segurança, independência e agilidade no socorro em situações críticas.

“Este dispositivo pioneiro utiliza tecnologia própria para monitorar em tempo real parâmetros vitais, como frequência cardíaca, pressão arterial, oxigenação sanguínea, além de detectar quedas e fornecer geolocalização em emergências”, explica Camila Gonçalves. O produto está começando a ser operacionalizado e conta com 100 clientes – entre pessoas e empresas. O objetivo é finalizar 2024 com mais de 2,5 mil idosos acompanhados.

Camila Gonçalves conta que o Sebrae foi um parceiro fundamental para chegar ao momento atual, com a participação em programas como o Sebraetec, Capital Empreendedor e o SebraeInCompany, em diversas feiras, imersões em ambientes de inovação e visitas a instituições de renome, como o Hospital Albert Einstein, o Inova HC e o Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). “Essas experiências contribuíram significativamente para o aprimoramento contínuo da CuideMe, permitindo-nos oferecer um serviço mais abrangente e inovador, sempre valorizando a parceria e o suporte do Sebrae ao longo de nossa jornada empreendedora”, afirma.

Manter a mente funcionando é um dos objetivos da empresa ISGAME, que desenvolveu o Programa Cérebro Ativo, com o objetivo de ensinar idosos a jogar e desenvolver games para a melhora cognitiva, combatendo a Doença de Alzheimer (que atinge cerca de 7% dos idosos no Brasil). A empresa oferece aulas presenciais e on-line, que utilizam o aplicativo que já está disponível na App Store e Google Play com assinaturas que custam R$ 20 por mês.

“Temos um modelo de Licenciamento para Instrutores, que podem levar a nossa metodologia e o Aplicativo Cérebro Ativo para todas as cidades. Hoje são mais de 1,5 mil alunos em São Paulo, Campinas, Jundiaí e Santos”, conta o fundador da empresa, Fábio Ota. “Sempre gostei de conversar com pessoas mais velhas, mas me incomoda muito saber que muitos, por falta de estímulos, podem sofrer mais com o declínio cognitivo. Por isso, investimos nesse campo”, argumenta. Atualmente, o projeto foi aprovado pela Lei Rouanet para poder captar R$ 1 milhão para investir na ampliação da escola de games.

“As startups voltadas para o setor da saúde, principalmente para os idosos, são uma tendência mundial, pois são mais ágeis, desenvolvem e apresentam seus produtos e serviços numa velocidade muito maior do que as empresas normais”, comenta Flávio Barros.

]]>
bettingpro - Startup – bettingpro – bettingprohttps://www.ilyyt.com/inovacao-e-tecnologia/capacitacao-tecnologia-de-nuvem-para-impulsionar-startups-em-2024/Wed, 20 Dec 2023 18:41:53 +0000https://www.ilyyt.com/?p=19397O final de ano é um dos principais momentos para organizar metas para o próximo ciclo. No caso de empreendedores ou quem trabalha em startup, o período de festas e descanso também é uma oportunidade para adquirir novos conhecimentos. E se os cursos são livres e rápidos, melhor ainda.

Uma opção para quem está em busca de capacitação é o treinamento em nuvem, oferecido pelo Sebrae Startups em colaboração com a Amazon Web Services (AWS) e disponível de maneira gratuita para mais de 25 mil pessoas.  “O universo das startups é dinâmico e demanda constante capacitação por parte dos empreendedores que buscam realmente inovar. E estar por dentro das novidades sobre tecnologia de nuvem é essencial para reduzir custos, aumentar a segurança, ganhar agilidade e ampliar acesso a clientes e parceiros, como provedores de softwares e integradores de sistemas que ajudam a escalar o negócio”, diz Alexandre Souza, coordenador do Sebrae Startups.

Segundo recente estudo da AWS com a Acess Partnership, quase todas as organizações brasileiras (97%) planejam usar soluções baseadas em IA até 2028. Os empregadores entrevistados no país acreditam que a IA pode aumentar a produtividade em 66% quando a IA é totalmente utilizada em todas as funções de trabalho possíveis. A estimativa é semelhante tanto entre grandes quanto pequenas e médias empresas.

“Startup na Nuvem traz trilhas inéditas sobre inteligência artificial generativa e aprendizado de máquina porque é fundamental que as startups utilizem o poder da nuvem e das tecnologias emergentes para inovar, crescer de forma eficiente e serem mais competitivas na era digital”, afirma Andréa Leal, gerente de Treinamentos Massivos de AWS para América Latina. “É um privilégio unir forças com o Sebrae Startups para apoiar empreendedores que têm o potencial para formar a nova geração de unicórnios no Brasil.”

A trilha de desenvolvimento inclui  conceitos introdutórios de computação em nuvem,  e outros módulos que abordam os benefícios do uso da nuvem, segurança, modelos de serviço, casos de uso e até sessões de mentoria com especialistas – a primeira sessão será ao vivo, no dia 23 de janeiro.

Com os módulos gravados, o objetivo é permitir que os alunos possam estudar no seu tempo livre, especialmente durante o período de férias. A última sessão de tutoria faz um resumo de todos os módulos ao vivo, oferecendo a oportunidade de que dúvidas sejam resolvidas diretamente. Os estudantes que completarem todos os módulos, fazem um exame final e garantem o seu certificado de participação e os as pessoas que atingirem melhores notas, concorrem a vouchers gratuitos para o exame de certificação AWS Cloud Practitioner. Para mais informações e inscrições, acesse o site.

]]>
bettingpro - Startup – bettingpro – bettingprohttps://www.ilyyt.com/inovacao-e-tecnologia/observatorio-sebrae-startups-reune-informacoes-sobre-legislacoes-para-startups/Fri, 15 Dec 2023 20:05:08 +0000https://www.ilyyt.com/?p=19228Todo fundador de startups está em busca de novas oportunidades no mercado. Por outro lado, os investidores estão sempre de olho em negócios promissores para investir. Mas, o que os dois têm em comum é a necessidade de entender sobre a legislação que incide sobre esse modelo de negócio. E é nesse contexto que o Observatório Sebrae Startups é  um grande aliado.

Essa plataforma digital realiza o cruzamento de dados com base em diversas análises e, além de oferecer um panorama geral do mercado das startups no Brasil, reúne informações sobre as legislações que contemplam essas empresas.

Esse compilado de legislações pode ser consultado na página do Observatório, na seção Radar Legislação. Ao acessá-la, o usuário encontrará um dashboard que permite a   visualização dos estados e municípios brasileiros que possuem leis relacionadas à atuação das startups no país, bem como as leis federais.

A seção Radar Legislação vai muito além do aspecto quantitativo, uma vez que reflete o nível de maturidade dos estados e municípios no que diz respeito à regulamentação da atuação das startups no país. Ao todo, 577 dos 5.570 municípios brasileiros possuem legislações para regular a atuação dessas empresas, que somam um total de 1.239 leis. Dessas, 144 são de âmbito estadual e 1.095, municipal.

Também é possível visualizar um gráfico com a evolução da legislação de startups no país. Nota-se que, até 1992, o Brasil não tinha nenhuma lei específica para tais empresas, o que começou a mudar apenas a partir de 2006, e 2022 foi o ano com o maior número de criação de leis focadas nessas empresas – 165.

A região sul é a que concentra mais leis específicas para startups, com 497 registros. Em segundo lugar fica o sudeste, com 418, seguido pelo centro-oeste, com 112. Já o nordeste e o norte possuem, respectivamente, 51 e 17 leis.

O estado de São Paulo se destaca como a unidade federativa com maior quantidade de leis, contabilizando 243. Rio Grande do Sul e Santa Catarina vêm logo depois, com 181 e 156, respectivamente. Já os estados com menor quantidade são Alagoas e Paraíba, tendo desenvolvido apenas uma lei para o modelo de negócios de startups.

Em relação às leis federais, temos um total de 17, sendo em 2016 o ano da criação da primeira.

Além de todos esses indicadores, o usuário também pode  conferir na íntegra o que diz cada uma dessas leis.

Para acessar o Radar Legislação, clique aqui: https://www.aizhiniao.com 

Sobre o Observatório

O Observatório Sebrae Startups é uma plataforma que reúne informações detalhadas sobre o cenário das startups no Brasil. Lançada no Startup Summit 2023, em Florianópolis (SC), a base de dados do Observatório contempla estudos, perspectivas de mercado e a legislação.

]]>
bettingpro - Startup – bettingpro – bettingprohttps://www.ilyyt.com/inovacao-e-tecnologia/sebrae-disponibiliza-r-163-milhoes-para-pesquisadores-conquistarem-mercado-de-inovacao/Tue, 12 Dec 2023 19:38:01 +0000https://www.ilyyt.com/?p=19134A partir desta terça-feira (12), estão abertas as inscrições para a última etapa da jornada Catalisa ICT, programa do Sebrae que destinará R$ 16,3 milhões para projetos de inovação em todo o país. O lançamento do edital ocorreu nesta terça-feira (12), com a participação do presidente do Sebrae, Décio Lima, e da ministra da Ciência e Tecnologia, Luciana Santos, na sede do Sebrae, em Brasília. Por nove meses, até dois pesquisadores empreendedores receberão uma bolsa no valor de R$ 6,5 mil por mês, além de capacitação, mentorias e participarão em eventos de conexões. As propostas devem ser submetidas até 31 de janeiro de 2024.

A ação é promovida pelo Sebrae em parceria com diversas entidades do ecossistema nacional de inovação, com o objetivo de objetivo de acelerar negócios inovadores de base tecnológica, além de promover a aproximação entre universidades e mercado.

Presidente Décio Lima durante o evento na sede do Sebrae Nacional, em Brasília. Foto: Erivelton Viana.

O presidente do Sebrae, Décio Lima, ressaltou que a pesquisa voltou a ser prioridade nas políticas públicas, ajudando o crescimento do país. “Após anos de corte nos investimentos em pesquisa, o país anuncia investimentos que darão resultados significativos para a população. O Sebrae e o Ministério da Ciência e Tecnologia vão ajudar a pesquisa brasileira. Não há como inovar sem cuidar da vida e do meio ambiente ao qual pertencemos, por isso precisamos sempre alinhar a pesquisa às áreas de sustentabilidade, inovação, com isso teremos resultados significativos na diminuição das desigualdades. Ao lançarmos o edital, estamos sendo parceiros indutores de desenvolvimento”, disse.

Precisamos agregar valor com a neoindustrialização para gerar emprego, promover a inclusão e ser um país mais justo para o povo brasileiro.

Décio Lima, presidente do Sebrae Nacional.

Durante o evento, Décio Lima ressaltou ainda que, em conjunto com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), cerca de R$ 160 milhões serão disponibilizados para um fundo garantidor que permitirá acesso a crédito para os pequenos negócios do setor. Já a ministra de Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, anunciou, para março de 2024, o lançamento de um novo ciclo da jornada Catalisa ICT, que deve ser iniciado com o investimentos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). No total, cerca de 4 mil pesquisas poderão participar. O objetivo é que no fim da jornada sejam criadas mais 600 novas empresa de base tecnológica (deep techs) em todo o país.

Ministra Luciana Santos. Foto: Erivelton Santos.

A nossa produção ainda não se realiza em produtos e serviços. Estamos em 49º lugar de inovação. Por isso, temos que persistir nesse esforço e fazer essa intercessão. É preciso que a universidade se comunique com as empresas e o Catalisa ICT é uma dessas ferramentas. O Brasil possui a produção, mas precisa avançar nessa conexão para enfrentarmos problemas como a desigualdade e a fome.Luciana Santos, ministra da Ciência e Tecnologia.

Apoio

A deep tech Orby.co já passou pelo Catalisa ICT e pretende participar desse edital lançado hoje. A empresa desenvolve um sistema pioneiro para fazer controle motor e modulação de dor em pessoas que perderam o movimento por funções neuromotoras, como é o caso do Parkinson, da lesão medular, entre tantas. Além disso, a startup atua na reabilitação auditiva com o auxílio de inteligência artificial. A neurocientista, engenheira biomédica e CEO da Orby.co, Duda Franklin, conta a importância da jornada para o empreendimento.

“O Sebrae é a porta de entrada para essas empresas, principalmente as startups de base tecnológica. Eles nos ajudam com conhecimento, com conexões, a nos estruturarmos e a nos posicionarmos melhor no mercado”, lembrou. “Só assim a gente consegue colocar o Brasil no mapa das grandes indústrias de tecnologia do mundo”, completou.

Como funciona

A jornada de aceleração Catalisa ICT compreende quatro etapas. A primeira, realizada em 2020, foi a de mobilização dos pesquisadores e o despertar para empreender. Na sequência, os participantes aprenderam a estruturar seus projetos. Entre 2021 e 2022, começaram a desenvolver e a testar seus produtos. Agora é a hora de escalar essas iniciativas inovadoras.

A participação na etapa anterior dá condições para a submissão a esta que será aberta, mas não é pré-requisito. Todas as deep techs(startups com origem na pesquisa) que atendam aos requisitos do edital podem participar. A exigência é ter no mínimo grau de maturidade tecnológica (TRL- Technology Readiness Level) 5, ou seja, estar em fase de testes em ambiente simulado.

Para ser selecionado, o projeto de inovação deve estar ligado às seguintes áreas: saúde, farmácia e cosméticos; agropecuária e aquicultura; sustentabilidade socioambiental e florestal; equipamentos para a indústria ou para serviços; equipamentos eletroeletrônicos; logística ou transporte; educação; telecomunicação e infraestrutura de redes; tecnologia de Informação e Comunicação (hardware/software); indústrias de alimentos e bebidas; de construção; de metal, mecânica, automobilística; aeroespacial; naval; extrativa, de petróleo, gás e energia; além de indústria química e novos materiais.

Um aspecto importante é que os produtos e processos não podem agredir o meio ambiente, nem colocar em risco a segurança pública.

Do total das propostas selecionadas, haverá reserva de 30% das vagas para empresas que estejam situadas nas regiões Norte, Nordeste ou Centro-oeste do Brasil. O Catalisa ICT oferecerá ainda às empresas selecionadas a oportunidade de apresentarem seus projetos de inovação para acessarem apoio técnico-financeiro e promover avanços na tecnologia das suas soluções. Para saber mais, clique aqui: www.sebrae.com.br/catalisaict.

Parceria

Desde 2020, o Sebrae já investiu, por meio do Catalisa ICT, R$ 40 milhões em bolsas, auxílios, eventos e projetos de inovação e de internacionalização. Cerca de 3 mil pesquisadores brasileiros foram atendidos por meio da ação. Além disso, o Sebrae construiu um catálogo com mais de 170 empresas que têm soluções inovadoras e que estão aptas a receber investimentos.

Para execução do Catalisa ICT, o Sebrae conta com a colaboração do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI); do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI); do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (CONFAP); da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec); do Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec), Empresa Brasileira de pesquisa e inovação industrial (Embrapii), entre outras.

]]>
bettingpro - Startup – bettingpro – bettingprohttps://www.ilyyt.com/inovacao-e-tecnologia/startup-paranaense-aposta-em-cursos-on-line-que-ensinam-tecnologia-da-ia-e-recebe-aporte-de-r-250-mil/Mon, 11 Dec 2023 19:31:56 +0000https://www.ilyyt.com/?p=19103Startup de educação a distância (EaD) que oferece plataforma personalizada para quem deseja empreender com uma escola on-line própria voltada de conteúdos empresariais, educacionais, entre outros, a SpeedNow, de Maringá, na região noroeste do Paraná, passará a produzir cursos para seus alunos sobre o uso de inteligência artificial (IA), a fim de que o público explore o potencial desse campo. A ideia foi inscrita no edital Paraná Anjo Inovador e captou R$ 250 mil para aplicação no desenvolvimento da inovação – ao todo, por meio de chamamento público, o edital do Governo do Paraná destinou R$ 20 milhões em subsídios para startupsparanaenses.

Segundo o CEO da startup, Carlos Nunes, um grande público tem acesso a recursos de IA, mas não sabe exatamente como colocar em prática ou quais ferramentas poderia utilizar em sua realidade. O projeto para atendimento nessa área tem previsão para começar a rodar em junho de 2024.

“Para nós, é inédito um investimento vindo do Poder Público, sem equity ou outro tipo de contrapartida. Nossos clientes vão poder vender cursos em suas próprias escolas on-line e difundir os nossos cursos, que vão junto com o software. Um deles será um módulo com treinamento sobre IA, para os alunos dos nossos clientes entenderem como isso pode ajudá-los no mercado de trabalho”, diz Nunes.

Além de oferecer plataformas EaD personalizadas para clientes, o negócio entrega, atualmente, uma base de cursos com mais de 50 opções, o que, de acordo com Nunes, é um diferencial frente a concorrentes que oferecem ou o sistema EaD ou cursos prontos.

“A IA pode ajudar as pessoas no mercado de trabalho na parte de criação, de processos, de trabalho mecanizado. Com a IA, as pessoas podem otimizar o tempo para fazer um trabalho mais analítico e estratégico. A IA também ajuda a interpretar dados, para que foquem no principal e não em trabalhos cansativos e burocráticos”, detalha o CEO.

Astartup nasceu em 2018 e atende quem deseja ter uma escola EAD, como instituições, empresas, professores e consultores. O negócio cresce cerca de 20% ao mês, tem 40 colaboradores, possui 250 clientes em todos os estados brasileiros e pretende expandir a partir da nova solução.

“Com a nossa solução, os nossos licenciados terão vários cursos e treinamentos com foco em IA à disposição dos seus alunos para que essas pessoas tenham ideias de como a inteligência artificial pode facilitar suas vidas”, resume Nunes.

Em sua jornada de crescimento, passou pela aceleradora Evoa, de Maringá, e participa de programas oferecidos pelo Sebrae/PR, a exemplo do Top 10, que oferece suporte para a alavancagem negócios.

“A startup vem trilhando um caminho inspirador. Busca apoio em todo o ecossistema de inovação. Com o Sebrae, além da aceleração na Evoa, que apoiamos, participa do Top 10, faz consultorias, expõe em summits. Com a ousadia de dinamizar a EAD no Brasil, em breve se tornará uma empresa de médio porte”, comenta o consultor do Sebrae/PR, Nickolas Kretzmann.

]]>
bettingpro - Startup – bettingpro – bettingprohttps://www.ilyyt.com/inovacao-e-tecnologia/chegou-a-hora-inovativa-experience-vai-conectar-startups-investidores-e-mentores-em-grande-encontro/Fri, 01 Dec 2023 22:16:06 +0000https://www.ilyyt.com/?p=18845Após uma intensa jornada de aceleração, as startups participantes do InoVativa Brasil e do InoVativa de Impacto Socioambiental estarão em São Paulo para o encerramento do ciclo 2023.2 do programa. O Inovativa Experience acontece de 2 a 4 de dezembro, na Escola de Negócios do Sebrae São Paulo. O evento reúne e conecta empreendedores, investidores, mentores e grandes nomes do empreendedorismo inovador brasileiro.

Durante os três dias, 132 empreendedores vão participar de atividades exclusivas que incluem simulação de pitch (Demolation), mentorias individuais, oficinas, workshops e, por fim, o Demoday, quando vão ter a oportunidade de conectar seus negócios com investidores de todo o país. Ao todo, o evento deve contar com 78 investidores. Na cerimônia de encerramento, no último dia (4), as startups e mentores que mais se destacaram serão premiados.

As startups vão ter a chance de apresentar seus negócios e ter um feedback importante dos mentores antes de irem para a banca final. Será o momento de fazer o ajuste fino e aperfeiçoarem o pitch deles, depois de uma grande jornada de aceleração.
Paulo Puppin, coordenador de Ecossistemas de Inovação e Startups do Sebrae Nacional.

Pronta para decolar

AVenx  é uma das empresas inovadoras que participa do InoVativa Experience, representada por seus fundadores Jeorge Sávio e Ednaldo Júnior. Nascida em Natal (RN), a empresa atua há dois anos no mercado com um Hub de soluções inteligentes desenvolvidas para atender demandas da área da saúde e energia renováveis. Uma delas é a plataforma  VQuality que automatiza o processo de regulação de radiação em equipamentos de radioterapia e radiodiagnóstico.

De acordo com Jeorge Sávio, a empresa está pronta para tracionar para ampliar a operação no Brasil e também buscar a internacionalização do negócio. Atualmente, a Venx já atende clientes de oito estados brasileiros, além do Rio Grande do Norte.

“Estamos em busca de investimentos para aprimorar nosso software com recursos de Inteligência Artificial e integração de sensores, garantindo ainda mais qualidade e segurança nos procedimentos radiológicos e nucleares. Hoje a inspeção é feita manualmente sem acompanhamento em tempo real e com inúmeros riscos”, contou.

10 anos de apoio ao empreendedorismo inovador

Considerado o maior programa de aceleração da América Latina, o InoVativa completa 10 anos de apoio às startups brasileiras e à inovação empreendedora no país. Mais de 3,5 mil negócios inovadores de todo o país foram acelerados, com mais de 1,6 mil deles conectados a parceiros de negócios e investidores e 14 mil empreendedores impactados.

A iniciativa é uma política pública, realizada pelo Sebrae e Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), com execução da Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI), em coexecução em rede com Impact Hub Brasil e Associação Brasileira de Startups (Abstartups).

Puppin acrescenta que o InoVativa nasceu e continua com uma proposta muito inovadora, com uma nova visão de modelos de negócios mais ágeis com startups. Ao longo dos anos, o programa se consolidou e incluiu novos parceiros, como foi o caso do Sebrae. Outro lançamento foi o InoVativa de Impacto Sociambiental, voltado para pequenos negócios inovadores com a missão de gerar impacto social ou ambiental positivo.

“Com nosso apoio, foi possível dar uma escalabilidade enorme em âmbito nacional, tendo em vista a capilaridade do Sebrae pelo país. Nosso desafio, a partir de agora, é pensar como o InoVativa pode ser ainda melhor e continuar cumprindo o seu papel, que é levar capacitação, aceleração e conexão”, afirma.

Em 2021, o programa de aceleração InovAtiva deu um passo à frente e se transformou no Hub InovAtiva, facilitando a aproximação com outros atores reconhecidos dentro ecossistema de inovação do país. Neste ano, pela terceira vez, o Hub conquistou o 2º lugar na categoria TOP Ecossistemas na premiação TOP 100 Open Startups, que reconhece os atores do ecossistema brasileiro que mais apoiam startups e corporações.

]]>
bettingpro Mapa do site