clubedaposta - Financiamento – clubedaposta – clubedapostahttps://www.ilyyt.comAcesse conteúdos jornalísticos, nos mais variados formatos, focados na informação como aliada das micro e pequenas empresasWed, 22 Nov 2023 19:48:03 +0000pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=6.2.4clubedaposta - Financiamento – clubedaposta – clubedapostahttps://www.ilyyt.com/economia-e-politica/catalogo-reune-mais-de-250-opcoes-de-linhas-de-creditos-para-pequenos-negocios/Wed, 22 Nov 2023 19:48:03 +0000https://www.ilyyt.com/?p=18594O Sebrae reuniu, em um único lugar, mais de 250 opções de linhas de créditos de 35 instituições financeiras no mercado – públicas e privadas. A ferramenta Coletânea Sebrae de Linhas de Crédito tem o objetivo de apoiar na identificação das possibilidades mais adequadas à necessidade do pequeno negócio, além de projetar a capacidade de pagamento das parcelas, garantindo uma boa gestão do negócio.

Por meio do catálogo é possível analisar a variedade ampliada de opções de crédito, ter acesso a simuladores e calculadoras do Sebrae e garantir mais insumos que apoiam na tomada de decisão ao comparar as taxas, carências e outras informações referentes a cada linha de crédito.

-

Fazer comparações de dados e ter informações referentes a cada linha de crédito é fundamental. Com essa prática, o empreendedor estará mais preparado para tomar decisões financeiras estratégicas, garantindo um futuro próspero para a sua empresa.

Ellen Cristina Bonfim, analista de Capitalização e Serviços Financeiros.

A analista lembra que existem diversas situações em que solicitar crédito pode trazer grandes benefícios para as empresas, com retornos rápidos e eficazes. São elas: troca de dívidas com juros altos; ampliação do capital de giro; equilíbrio do fluxo de caixa; e expansão do negócio. “Esse dinheiro permitirá solucionar problemas pontuais e realizar investimentos estratégicos no negócio”, comentou.

Cinco passos antes de solicitar crédito:

  1. Identifique a necessidade de crédito – É importante ter clareza do valor do financiamento e a finalidade do recurso pretendido. Você precisa comprar máquinas, equipamentos, matéria-prima ou fazer uma reforma? De acordo com a sua necessidade, há uma linha de crédito mais adequada.
  2. Pesquise as diversas linhas disponíveis– Identifique as linhas de crédito mais adequadas a faça um comparativo entre elas. Compare limites, carência, taxas de juros e outros custos. Acesse www.sebrae.com.br/linhasdecredito e busque a linha de crédito mais vantajosa.
  3. Verifique se você tem algum tipo de restrição cadastral – Para obter crédito, é importante que você não tenha nenhum tipo de restrição: impostos atrasados, débitos com uma instituição financeira ou até mesmo com contas de água, luz, telefone. Se tiver algum desses problemas, resolva primeiro, pois será bem difícil conseguir crédito nessas condições.
  4. Identifique quais garantias você pode oferecer – Verifique que tipo de garantia você tem e se é suficiente para o valor de que precisa. Veículos, imóveis, avalistas e até parte do financiamento de máquinas podem ser dados como garantia.
  5. Elabore sua proposta de crédito – Reúna as informações e os documentos dos passos 1, 2 e 3. Organize tudo e monte sua proposta. Dessa forma, você estará mais bem preparado para uma negociação com a finalidade de obter crédito.
]]>
clubedaposta - Financiamento – clubedaposta – clubedapostahttps://www.ilyyt.com/economia-e-politica/marco-legal-das-garantias-pode-beneficiar-donos-de-pequenos-negocios/Mon, 06 Nov 2023 18:19:01 +0000https://www.ilyyt.com/?p=18111Empreendedores de todo o país terão mais facilidade no acesso a crédito com o novo Marco Legal das Garantias (Lei 14.711/2023), sancionado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. A partir de agora, quem solicitar empréstimos poderá oferecer bens, como imóveis, em garantia para mais de um financiamento. A medida poderá beneficiar os donos de pequenos negócios no pagamento de dívidas, na obtenção de capital de giro ou no investimento em expansão da empresa, por exemplo.

O presidente do Sebrae, Décio Lima, afirma que a iniciativa do governo federal possibilitará que o mercado de crédito se mantenha aquecido, além de possibilitar a redução das taxas de juros.

O novo Marco é um grande avanço para o nosso público, pois tem um efeito indireto sobre os juros reais de toda a economia. O acesso a crédito é uma ferramenta fundamental para evitar a quebra de micro e pequenas empresas que não têm a possibilidade de se reestruturar.

Décio Lima, presidente do Sebrae Nacional.

O dirigente também recorda que o Sebrae tem discutido com parceiros, entre eles o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), alternativas para oferecer um fundo garantidor aos donos de pequenos negócios. “Queremos oferecer microcrédito a fim de que os microempreendedores individuais e pequenos empresários possam alavancar essa cultura empreendedora com segurança e com capacidade de investimento na melhoria daquilo que produzem”, destacou.

Entenda mais

De acordo com a legislação, a garantia do imóvel só poderá ser utilizada caso a pessoa tenha uma moradia extra, sendo proibida a inclusão do imóvel único como garantia de um empréstimo. A medida impede que uma família fique sem lar caso deixe de pagar uma dívida.

Antes, uma casa só poderia ser dada como garantia em uma única operação de crédito, mesmo se o empréstimo ou financiamento tivesse valor mais baixo. Agora, a diferença entre o valor da operação de crédito e do bem dado como garantia poderá ser usada em outras operações, desde que estejam dentro da mesma instituição financeira. Por exemplo, se um imóvel de R$ 200 mil fosse dado como garantia para um empréstimo de R$ 50 mil, os R$ 150 mil de diferença não poderiam ser utilizados como garantia até que a operação fosse quitada. Se o consumidor não pagasse o empréstimo, e a casa fosse a leilão, o consumidor preservaria a diferença.

Outra novidade é a possibilidade de fazer propostas de desconto ao devedor por meio de cartórios. O consumidor inadimplente terá 30 dias para aceitar a proposta a partir do recebimento por carta simples, correio eletrônico ou aplicativo de mensagem instantânea.

O texto da lei foi publicado com vetos, entre eles aquele que permitia a tomada de veículos com financiamento em atraso, sem a autorização da Justiça. A avaliação do governo foi que a medida poderia criar riscos a direitos e garantias individuais e violar a cláusula de reserva de jurisdição.

Coletânea

O Sebrae disponibiliza a Coletânea Sebrae de Linhas de Crédito, que tem o objetivo de apoiar na identificação das possibilidades de empréstimo mais adequadas à necessidade do pequeno negócio.

]]>
clubedaposta - Financiamento – clubedaposta – clubedapostahttps://www.ilyyt.com/dados/reforma-e-compra-de-maquinas-crescem-como-motivacao-de-empreendedores-para-pegar-emprestimo/Mon, 25 Sep 2023 13:04:23 +0000https://www.ilyyt.com/?p=16994A proporção de empresas que pediu um empréstimo novo nos últimos 6 meses passou de 23%, em 2022, para 16% do total de empresas, em 2023. Por outro lado, entre os que não pediram empréstimo novos neste ano (84%), verifica-se que 16% ainda estão pagando por um empréstimo pego anteriormente. Assim, quando consideradas todas as empresas, cerca de 1 em cada 3 tem um empréstimo tomado junto a banco. Apesar da queda da proporção de empresas que pediram empréstimo novo, verifica-se que, entre os que pediram, aumentou a proporção dos que buscam expandir a capacidade produtiva do negócio. As principais motivações para a busca de crédito, mapeadas pela 10ª edição da pesquisa “O Financiamento dos Pequenos Negócios no Brasil”, realizada pelo Sebrae, mostra que a ampliação da capacidade de produção e de competitividade das empresas ganharam espaço entre os novos tomadores.

Enquanto “capital de giro” se mantém como a principal razão relatada historicamente, sendo apontada por 39%, “reforma/ampliação do negócio” cresceu de 19% para 28%, seguido de “compra de máquinas e equipamentos”, que variou de 15% para 26%, de 2022 a 2023. Outros indicativos também apontam para um otimismo dos empreendedores sobre a economia, como a indicação de “compra de mercadorias” (19%), o “desenvolvimento de novo produto” (4%) e a “contratação e treinamento de pessoal” (2%) como motivos para buscar um empréstimo no mercado financeiro.

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, a pesquisa mostra que os donos de micro e pequenas empresas estão buscando se preparar para uma perspectiva de aumento do consumo e aquecimento da economia, fatores que são esperados para os próximos meses.

O levantamento mostra que uma proporção maior de empresários está atrás de um empréstimo de maior qualidade, voltado para o fortalecimento do negócio. O fato de apenas 4% dos empreendedores procurarem empréstimos para refinanciar dívidas também é algo a ser celebrado.
Décio Lima, presidente do Sebrae Nacional.

Veja abaixo os principais pontos constatados pelo estudo.

Finalidade do Crédito Solicitado em 2023:

  • 39% capital de giro.
  • 28% reforma / ampliação do negócio.
  • 26% compra de máquinas e equipamentos.
  • 19% compra de mercadorias.
  • 4% desenvolvimento de novo produto.
  • 4% refinanciamento de dívida.
  • 2% contratação e treinamento de pessoal.
]]>
clubedaposta - Financiamento – clubedaposta – clubedapostahttps://www.ilyyt.com/dados/cooperativas-ja-respondem-por-3-em-cada-10-novas-operacoes-de-credito-para-pequenos-negocios/Wed, 20 Sep 2023 11:45:35 +0000https://www.ilyyt.com/?p=16814As cooperativas de crédito estão se tornando atores cada vez mais relevantes para a concessão de empréstimos às micro e pequenas empresas (MPE) e microempreendedores (MEI). A 10ª edição da pesquisa “O Financiamento dos Pequenos Negócios no Brasil”, realizada pelo Sebrae no último mês de junho, indica que, juntas, duas das principais operadoras (Sicredi e Sicoob) já representam quase 3 em cada 10 operações novas de crédito aprovadas no país nos últimos seis meses. O Banco do Brasil segue sendo a instituição com maior número de pedidos aprovados (22%).

O levantamento também sugere uma taxa de sucesso significativo nos pedidos feitos junto às cooperativas, já que elas aparecem com 18% das solicitações feitas por empresários de pequeno porte, no último semestre, enquanto a Caixa liderou entre as instituições mais buscadas (25%), seguida pelo Bradesco (19%) e Banco do Brasil (17%). Já entre o total de solicitações aprovadas, as cooperativas representam perto de 29% (veja mais dados abaixo).

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, a pesquisa mostra que as cooperativas podem crescer ainda mais a sua participação no volume de crédito concedido aos pequenos negócios.

Passada a pandemia, quando governo federal e sistema financeiro tomaram medidas emergenciais para aumentar a oferta de crédito, os bancos voltaram a adotar uma postura mais conservadora com as MPE. Nesse contexto, as cooperativas são uma excelente alternativa para os empreendedores, apresentando taxas menores, menos exigências e burocracia
Décio Lima, presidente do Sebrae.

“Juntas, Sicredi e Sicoob superaram o Banco do Brasil em número de operações de crédito aprovadas nos últimos seis meses, com base na amostra pesquisada”, acrescenta o presidente do Sebrae.

Créditorecusado

A pesquisa do Sebrae revela que falta clareza quanto aos critérios adotados pelos bancos para recusar empréstimos às MPE – 33% das empresas que tiveram o crédito negado não souberam explicar a razão ou não tiveram os motivos apresentados pelas instituições bancárias. Essa proporção havia registrado uma queda expressiva em 2022, quando 19% dos empreendedores não sabiam explicar o motivo para terem o crédito recusado.

Conta corrente (ou empresa) muito nova foi o segundo item mais citado (23%) pelos pequenos negócios entre as razões para a negativa de empréstimos. Já a recusa de empréstimo devido à inadimplência da empresa cresceu de 4% (em 2020) para 9% em 2023.

Veja abaixo mais detalhes sobre a pesquisa do Sebrae que ouviu empreendedores de todo o país
Banco em que conseguiu o empréstimo novo (últimos 6 meses):

  • Banco do Brasil – 22%
  • Sicredi – 17%
  • CAIXA – 15%
  • Sicoob – 12%

Banco em que solicitou crédito novo (últimos 6 meses):

  • Caixa Econômica – 25%
  • Bradesco – 19%
  • Banco do Brasil – 17%
  • Santander – 15%
  • Sicredi – 11%
  • Itaú – 10%
  • Banco do Povo – 7%
  • Sicoob – 7%
]]>
clubedaposta - Financiamento – clubedaposta – clubedapostahttps://www.ilyyt.com/dados/ignorados-pelos-bancos-4-em-cada-10-pequenos-negocios-usam-o-cartao-de-credito-para-financiar-a-empresa/Tue, 19 Sep 2023 10:45:35 +0000https://www.ilyyt.com/?p=16768Conhecido pelos juros elevados, o cartão de crédito é usado por 39% dos donos de pequenos negócios como modalidade de financiamento. O índice contrasta com a proporção de empresários que apontam os empréstimos em bancos privados (7%) ou públicos (4%). Os dados são da 10ª edição da pesquisa “Financiamento dos Pequenos Negócios no Brasil”, realizada pelo Sebrae. As informações sinalizam a dificuldade de acesso a crédito junto ao sistema financeiro, levando os empreendedores a optar pelo cartão de crédito como principal modalidade de financiamento usada.

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, os dados comprovam que os pequenos negócios continuam sofrendo com uma antiga e crônica dificuldade de acesso a empréstimos junto aos atores do sistema financeiro.

O volume de burocracia, a exigência de garantias e as altas taxas de juros funcionam como barreira que dificulta a vida das micro e pequenas empresas. Por essas razões, os empreendedores acabam buscando financiamento fora dos bancos e optando pelo cartão de crédito ou a negociação de prazo com os fornecedores. O acesso a crédito no Brasil é ainda um dos grandes entraves que impedem o desenvolvimento econômico e social do país de forma mais vigorosa e sustentável, tanto para as empresas quanto para as famílias.

Décio Lima, presidente do Sebrae.

O presidente do Sebrae ainda destaca que o alto uso do cartão de crédito pelos empreendedores prova como seria danoso o fim do parcelamento sem juros para esse segmento. “Entendemos que taxar o parcelamento no cartão de crédito pode impedir o funcionamento de empresas e o consumo de famílias. Os pequenos negócios podem ser os mais prejudicados com a taxação, além de ameaçar o poder de compra do brasileiro”, enfatiza.

Após o cartão de crédito, a segunda modalidade de financiamento mais usadas pelos empresários de pequeno porte são pagamento de fornecedores a prazo (20%). Depois vêm cheque especial (7%), dinheiro de amigos e parentes (7%), chegando a empréstimo em bancos privados (7%) e empréstimo em bancos oficiais (4%).

A série histórica da pesquisa (iniciada em 2013) mostra uma queda significativa na modalidade de pagamento de fornecedores a prazo, que já foi a principal fonte de financiamento (67% dos empresários em 2015). Para o presidente do Sebrae, esse comportamento se deve ao enxugamento da maioria das fontes e ao aumento da participação dos microempreendedores individuais (MEI) no universo dos pequenos negócios no país.

Outro meio de financiamento que caiu significativamente foi o cheque pré-datado, que era citado por 46% dos empresários em 2015 e, na pesquisa deste ano, foi lembrado por apenas 4% dos entrevistados, a menor marca da série histórica.

Tipos de Financiamento buscados atualmente

  • 39% Cartão de crédito (empresarial ou pessoal)
  • 20% Faz pagamento de fornecedores a prazo
  • 7% Cheque especial
  • 7% Dinheiro de amigos e parentes
  • 7% Empréstimos em bancos privados
  • 4% Empréstimos em bancos oficiais

-

Como foi feita a pesquisa?

A pesquisa “O Financiamento dos Pequenos Negócios no Brasil 2023” coletou 6.237 entrevistas por telefone no período de 1 a 30 de junho de 2023. Foram ouvidos microempreendedores individuais (MEI) e donos de micro e pequenas empresas dos setores de Comércio, Serviços e Indústria. A amostra é representativa do Brasil.

Acesse o infográfico completo: financiamento-cartao-A4-ago-2023.

]]>
clubedaposta - Financiamento – clubedaposta – clubedapostahttps://www.ilyyt.com/economia-e-politica/oportunidade-nova-fase-do-desenrola-para-dividas-de-ate-r-5-mil/Mon, 18 Sep 2023 20:27:32 +0000https://www.ilyyt.com/?p=16759Pessoas com dívidas até R$ 5 mil poderão participar da nova fase do Programa Desenrola Brasil, do governo federal, nas próximas semanas. Até o momento, cerca de 1,9 milhão de contratos que somavam R$ 13,2 bilhões foram renegociados, de acordo com balanço apresentado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) nesta segunda-feira (18). De acordo com o Banco do Brasil, uma das instituições bancárias participantes, cerca de 40 mil donos de pequenos negócios, entre eles Microempreendedores Individuais (MEI), procuraram a entidade para participar da iniciativa e renegociar cerca de R$ 2,5 bilhões.

Agora, a nova fase visa contemplar devedores (pessoas físicas) com renda até dois salários-mínimos ou inscritos no Cadastro Único (CadÚnico), com o objetivo de reduzir o endividamento dos brasileiros e impulsionar o acesso ao mercado de crédito. Entre os benefícios conquistados até o momento junto aos bancos estão o desconto das taxas de juros, nos valores das dívidas e no prazo para o pagamento.

Essa é uma grande oportunidade para os empreendedores, pois muitas instituições financeiras estão aproveitando esse movimento e oferecendo condições mais vantajosas de negociação para os pequenos negócios. É um ganho importante, pois o Desenrola é um programa estratégico para o Brasil retomar o desenvolvimento econômico, com a redução das desigualdades.
Presidente do Sebrae, Décio Lima.

O presidente ressalta ainda que é importante o empreendedor estar atento porque as dívidas na pessoa física podem dificultar o acesso a empréstimo pela empresa no futuro.

Comoparticipar

Nesta fase, as pessoas interessadas em renegociar suas dívidas deverão inscrever no gov.br e ter contas de nível Prata ou Ouro. Sem esse cadastro, não será possível acessar o sistema para realizar a renegociação.

Passo a passo

  1. Acesse o portalwww.gov.br.
  2. Selecione “Entrar com gov.br”.
  3. Digite o CPF e clique em “Continuar” – nessa etapa é possível criar ou alterar a conta para preencher o formulário com dados pessoais.

Para alcançar o nível Prata há três possibilidades:

  1. Validação facial pelo aplicativo GOV.BR para conferência da foto junto à Carteira de Habilitação (CNH);
  2. Validação dos dados pessoais via internet banking de um banco credenciado. As instituições financeiras credenciadas são: Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, Banco de Brasília, Caixa Econômica, Sicoob, Santander, Itaú, Agibank, Sicredi e Mercantil do Brasil; ou
  3. Validação dos dados com usuário e senha do Sistema de Gestão de Acesso (SIGEPE), caso seja um servidor público federal.

Já para o nível Ouro é necessário:

  1. Validação facial pelo aplicativo GOV.BR para conferência da sua foto nas bases da Justiça Eleitoral; ou
  2. Validação dos seus dados com Certificado Digital compatível com ICP-Brasil.
]]>
clubedaposta - Financiamento – clubedaposta – clubedapostahttps://www.ilyyt.com/inovacao-e-tecnologia/financiamento-de-projetos-inovadores-e-tema-do-papo-de-financas/Tue, 29 Aug 2023 12:21:00 +0000https://www.ilyyt.com/?p=16291O novo episódio do Papo Sebrae de Finanças vai debater sobre o financiamento de projetos de inovação. Com transmissão ao vivo pelo canal do Youtube e Instagram, a live acontece nesta terça-feira (29), às 19h, e contará com a participação do especialista e fundador da MOA Ventures e HARDS, Marcos Buson, e Luiz Pinage, empreendedor e diretor da empresa Due Laser, startup que vivenciou o processo de aceleração por meio do Sebrae e hoje fatura R$ 20 milhões por ano. O debate será mediado pelo coordenador de Acesso a Crédito e Investimentos do Sebrae Nacional, Giovanni Beviláqua.

De acordo com o analista de Capitalização e Serviços Financeiros que organiza a live, Leonardo Carvalho, o Papo Sebrae de Finanças vai abordar desde programas do Sebrae para o ecossistema de inovação até assuntos como aceleração,equit, investidores anjo, crowdfunding, seed money e outras pautas relacionadas às finanças.

“O tema é muito atual, já que vários segmentos da sociedade atuam com inovação. Nesse sentido, as fontes de financiamento para esses projetos são um tipo de informação estratégica para empreendedores que planejem desenvolver startups e atuar no ecossistema de inovação”, comenta.

Se liga!

Os outros três episódios do Papo Sebrae de Finanças ainda estão disponíveis no canal do Sebrae no YouTube. O primeiro tratou de microcrédito, o segundo esteve focado em educação financeira e o terceiro abordou a economia colaborativa.

]]>
clubedaposta - Financiamento – clubedaposta – clubedapostahttps://www.ilyyt.com/economia-e-politica/sebrae-e-camara-discutem-impacto-dos-juros-nos-pequenos-negocios/Wed, 16 Aug 2023 19:26:56 +0000https://www.ilyyt.com/?p=15910O Congresso Nacional está interessado em saber o real impacto da alta taxa de juros (13,25% ao ano) para os pequenos negócios. Com esse objetivo, foi promovida uma audiência pública na Comissão de Indústria, Comércio e Serviços da Câmara dos Deputados, nessa terça-feira (15). As dificuldades de acesso ao crédito e de manter os compromissos em dia por parte das micro e pequenas empresas foi o tema abordado pelo gerente de Políticas Públicas do Sebrae, Carlito Merss, durante o evento.

Nosso objetivo, participando dessa audiência, é fazer com que o Banco Central tenha essa visão sobre a dificuldade dos pequenos negócios. Mesmo com a justificativa de controlar a inflação, essa taxa de juros, a maior do mundo, prejudica a economia e a micro e pequena empresa.

O gerente do Sebrae ainda destacou a importância de debater a questão do acesso ao crédito para os pequenos negócios, principalmente para os Microempreendedores Individuais (MEI).

“Devemos ampliar a discussão sobre o crédito, que ainda é um grande problema. Para o dono de uma pequena lanchonete, R$ 5 mil em financiamento é a vida dele. E, se não conseguir, por conta do tamanho da burocracia, pode até cair na agiotagem”, comentou. Para finalizar, o gerente de Políticas Públicas avaliou a questão da Reforma Tributária e defendeu o texto em relação às MPE. “Vamos atrás de dialogar com os parlamentares para que eles não mexam na legislação ligada à micro e à pequena empresa”, reforçou.

Endividamento

O presidente da Confederação Nacional das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Comicro), José Tarcísio da Silva, defendeu a elaboração de uma ação, aos moldes do Programa Desenrola, do governo federal, para o setor. Ele ressaltou a importância do Pronampe durante o período da pandemia, mas destacou que os juros elevados dificultaram o pagamento de dívidas e o acesso a novos créditos. José Tarcísio afirmou que 40% dos microempreendedores individuais (MEI) estão endividados.

“É impagável. Ele (MEI) não parou de pagar porque ele quis, foi porque não pôde pagar. Ele está vendendo bens. Para resolver esse problema, só tem uma solução: vamos criar o Desenrola da microempresa, vamos tirar os juros e as multas do Fisco, vamos parcelar o principal [da dívida] e dar tempo para esse cidadão pagar o que deve e começar novamente”, disse.

Além disso, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) ressaltou a importância do aperfeiçoamento dos fundos garantidores de crédito e a aprovação do projeto de lei (PL 4188/21) que trata do sistema de garantias. O representante da instituição, Rubens Sardenberg, destacou que a redução dospread bancário dependeria da queda nos custos de intermediação financeira, como inadimplência e impostos.

Banco Central

Por sua vez, o diretor de Relacionamento do Banco Central, Maurício de Moura, apontou que a redução da taxa de juros deve ser gradual, baseada no controle da inflação com impacto atenuado sobre nível da atividade econômica. “A gente tem que tomar decisões pela inflação corrente, pelo hiato do produto, pela inflação que será no futuro e pela expectativa das pessoas e dos agentes de mercado de que a inflação, de fato, vai convergir para o centro da meta”, disse. Em relação ao crédito, ele destacou que as pequenas e médias empresas têm acessado cada vez mais.

]]>
clubedaposta - Financiamento – clubedaposta – clubedapostahttps://www.ilyyt.com/economia-e-politica/pequenos-negocios-foram-responsaveis-por-8-a-cada-10-empregos-criados-em-outubro/Mon, 05 Dec 2022 15:59:16 +0000https://www.ilyyt.com/?p=10137Pelo décimo mês consecutivo, as micro e pequenas empresas apresentaram saldo positivo na geração de empregos no país. De acordo com levantamento realizado pelo Sebrae, com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do mês de outubro, os pequenos negócios foram responsáveis por cerca de oito a cada dez novas vagas de trabalho criadas no país.  O saldo positivo de empregos gerados pelas empresas de todo o porte no Brasil, em outubro, foi de 159.454, sendo que apenas os pequenos negócios criaram 125.114, ou seja, 78,5% do total.

“Os postos de trabalho criados, no Brasil, apresentam uma redução 41% quando comparado com a média mensal dos últimos 5 meses, mas apesar dessa queda, todos esses números estão em consonância com a queda da taxa de desocupação disponibilizada pelo IBGE. Atualmente, essa taxa está em 8,3%. Em Janeiro desse ano, ela era de 11,2%. Uma diminuição considerável de quase 3 pontos percentuais sendo os pequenos negócios os grandes responsáveis por essa redução e mostram que são essenciais para a economia brasileira”, ressalta o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

No acumulado de 2022, o Brasil já acumula 2,320 milhões de novos postos de trabalho. As micro e pequenas foram as grandes geradoras de emprego com 1,661 milhão (71,6%) novas contratações. A participação das médias e grandes na geração de empregos é de 22% com 513 mil contratações. “O comparativo de 2021 com 2022 mostram cenários praticamente idênticos. Analisando apenas MPE e MGE, observa-se, em ambos períodos, as micro e pequenas empresas sendo responsáveis por aproximadamente 77% dos novos postos de trabalho gerados”, pontua o presidente do Sebrae.

Setores

Em relação aos sete setores da economia analisados, apenas as micro e pequenas empresas apresentaram saldo positivo em todos. As médias e grandes empresas apresentaram saldo negativo na Construção Civil e na Extrativa Mineral. No Serviços, o saldo de contratações dos pequenos negócios foi de 60,2 mil, mais do que o dobro das médias e grandes que aumentaram seus quadros em 29,1 mil novos contratados. As contratações pelos pequenos negócios do Comércio também foram bem superiores: quase cinco vezes mais dos que as médias e grandes. Foram 39,1 mil contra 8,3 mil.

No acumulado de 2022, nas MPE, do setor de Serviços, foram as que mais contrataram com 850.781 novos empregos, seguido pela Construção Civil, 274.679, e Comércio com 262.143. Nas MGE, Serviços também lidera com 327.511 novas contratações, seguido pela Indústria de Transformação, 176.161 novas contratações.

]]>
clubedaposta - Financiamento – clubedaposta – clubedapostahttps://www.ilyyt.com/economia-e-politica/pequenos-negocios-ganham-mais-prazo-para-renegociar-dividas-ativas-da-uniao/Mon, 31 Oct 2022 19:56:10 +0000https://www.ilyyt.com/?p=9234O Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (31) traz a portaria PGFN/ME nº 9.444 da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), que dá mais prazo para os donos de pequenos negócios negociarem suas dívidas ativas da União. O novo prazo segue até 30 de dezembro de 2022, às 19h. Entre os acordos de transação com prazos estendidos, destacam-se o Programa de Regularização do Simples Nacional e a Transação de Pequeno Valor.

Os benefícios para quem aderir às renegociações incluem entrada facilitada, prazo ampliado para pagamento e desconto. O Programa de Regularização do Simples Nacional, por exemplo, permite que a entrada, referente a 1% do valor total das inscrições selecionadas, seja parcelada em até oito meses. O pagamento do saldo restante poderá ser dividido em até 137 parcelas mensais, com desconto de até 100% dos acréscimos legais (juros, multas e encargo legal).

O valor mínimo da parcela é de R$ 25 para microempreendedor individual (MEI) e R$100 para microempresa e empresa de pequeno porte. Essa modalidade abrange débitos inscritos até 31 de outubro de 2022 e a desistência de outra negociação para adesão a esta modalidade deve ser realizada até 30 de novembro de 2022.

Para aderir, basta acessar o Regularize, portal digital de serviços da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), no endereço eletrônico: https://www.fzsxjz.com. Para pessoa jurídica é necessário ter cadastro no Regularize, inclusive os microempreendedores individuais (MEI). O acesso pode ser feito por senha, certificado digital ou por meio do portal e-CAC da Receita Federal, no menu “Dívida Ativa da União”.

Ao regularizar o seu negócio, o empreendedor pode obter a Certidão Negativa de Débitos (CND), ampliando o acesso a crédito e financiamentos, além de participar de compras públicas. Além da expedição da CND e da positiva com efeito de negativa (CP-EN), os acordos de transação trazem uma série de benefícios tais a suspensão de atos de cobrança administrativa ou judicial.

Transação de Pequeno Valor

Outra modalidade de acordo que teve o prazo prorrogado é o da Transação de Pequeno Valor, que possibilita ao contribuinte pagar os débitos inscritos em dívida ativa da União com benefícios, como entrada reduzida e descontos sobre o valor total. Essa modalidade abrange apenas débitos inscritos em dívida ativa há mais de um ano e cujo valor consolidado seja igual ou inferior a 60 salários-mínimos.

]]>
clubedaposta Mapa do site

1234