game 9f thrones - Denominação de Origem (DO) – game 9f thrones – game 9f throneshttps://www.ilyyt.comAcesse conteúdos jornalísticos, nos mais variados formatos, focados na informação como aliada das micro e pequenas empresasTue, 30 Jan 2024 18:57:29 +0000pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=6.2.4game 9f thrones - Denominação de Origem (DO) – game 9f thrones – game 9f throneshttps://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/cachaca-de-paraty-conquista-reconhecimento-inedito-como-indicacao-geografica-ig/Tue, 30 Jan 2024 18:57:29 +0000https://www.ilyyt.com/?p=20023Por apresentar características únicas no sabor e tradição, a cachaça de Paraty, produzida na cidade histórica do litoral do Rio de Janeiro, conseguiu o reconhecimento inédito como Indicação Geográfica (IG), junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). O produto tornou-se o primeiro destilado brasileiro com Denominação de Origem (DO). A pedido da Associação dos Produtores e Amigos da Cachaça Artesanal de Paraty (APACAP), o INPI concedeu alteração no registro da aguardente de cana que até então, era registrada como Indicação de Procedência (IP).

A analista de Inovação do Sebrae Nacional Hulda Giesbrecht explica que o novo registro de Denominação de Origem (DO) reconhece a qualidade da cachaça de Paraty, a partir de um conjunto de características específicas da região e da produção.

É uma grande conquista para os produtores e um incentivo para que a cachaça ganhe mais um diferencial competitivo no mercado dentro e fora do país. A Denominação de Origem confere a garantia da qualidade do produto com base em um conjunto de características que só é possível devido às especificidades de determinada região, como por exemplo, as condições de clima, o tipo de solo e às tradições relacionadas ao saber-fazer.

A analista de Inovação do Sebrae Nacional Hulda Giesbrecht.

De acordo com o INPI, a aguardente de cana de Paraty apresenta características sensoriais próprias e exclusivas, traduzidas na sensação agradável de calor proporcionada pelo teor alcoólico do produto, além de gostos básicos de doce. Segundo a entidade, a aprovação do pedido de alteração do registro considerou a influência de fatores naturais, como a grande variação topográfica do relevo da Serra do Mar e a alta pluviosidade anual, com boa distribuição, bem como avaliou os aspectos humanos na produção, a exemplo do trato manual do cultivo e da utilização de adubação orgânica com bagaço e vinhoto aliado ao baixo uso de agrotóxicos.

Há 16 anos, os alambiques associados à APACAP conquistaram o registro como Indicação de Procedência (IP), a qual reconhece a reputação da aguardente de cana pela região onde é produzida. Paraty possui título de Patrimônio Histórico Nacional e desde o período colonial ficou famosa pela produção artesanal de cachaça por meio do cultivo da cana de açúcar. Essa longa tradição ajudou a aprimorar a fabricação e a agregar sabores e características únicas à bebida, que obedece a normas rígidas de produção artesanal e familiar.

O atual presidente da APACAP, Eduardo Mello, enaltece o trabalho realizado ao longo dos anos pelos produtores. Segundo ele, a conquista é resultado de um amadurecimento coletivo e da união em prol do bem comum. “É um longo caminho de muito empenho de todos os produtores. Na verdade, tornar-se uma DO era fora da nossa realidade por falta de conhecimento. A partir do benchmarking que fizemos no Vale dos Vinhedos, com apoio do Sebrae, ficou mais claro o que poderíamos fazer para alcançar esse registro”, frisa.

Eduardo conta que teve, além do Sebrae, apoio de universidades da região fluminense para realizar as pesquisas necessárias e apresentar os documentos ao INPI. “Identificamos o solo do estado. Praticamente não existia pesquisa sobre o terroir da região. Também realizamos rodadas sensoriais para identificar todos os sabores da cachaça. Foi um trabalho longo para atender muitas exigências”, explica.

Ele acrescenta que o registro como Indicação Geográfica (IG), de uma forma geral, também é uma garantia de segurança para o consumidor final, pois previne falsificações e clandestinidade. “Quando o consumidor compra a cachaça com o selo de IG, ele tem a garantia que está acessando um produto com qualidade e origem garantidas”, complementa.

Com essa alteração, o INPI manteve as 120 IGs registradas, mas agora são 85 Indicações de Procedência (todas nacionais) e 35 Denominações de Origem (26 nacionais e nove estrangeiras). Um pedido de alteração de registro pode ser apresentado ao INPI após 24 meses da data de concessão, em serviço disponível desde 2020.

]]>
game 9f thrones - Denominação de Origem (DO) – game 9f thrones – game 9f throneshttps://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/semana-internacional-do-cafe-destaca-o-potencial-das-indicacoes-geograficas-brasileiras/Tue, 07 Nov 2023 17:28:54 +0000https://www.ilyyt.com/?p=18133Os pequenos produtores de café que fazem parte das regiões com registros de Indicações Geográficas (IG) serão destaque na 11ª Semana Internacional do Café (SIC), que começa nesta quarta-feira (8), em Belo Horizonte (MG). Com apoio do Sebrae, produtores de 15 IGs vão marcar presença na feira, considerada um dos maiores eventos do setor cafeeiro no mundo. Nessa edição, o tema central do evento é “Origens produtoras – uma visão de futuro para uma nova cadeia do café”, com a perspectiva da sustentabilidade, considerada cada vez mais requisito obrigatório no mercado internacional.

No Brasil, o café é o produto que detém o maior número de registros de Indicação Geográfica, seja ela, a modalidade de Denominação de Origem (DO) ou Indicação de Procedência (IP). O registro é expedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). São grãos reconhecidos pelo alto padrão de qualidade, cultivados em territórios com características específicas com tradição do saber-fazer.

O Sebrae atua em 38 regiões produtoras de café de 14 estados. Atualmente, existem 16 selos de Indicação Geográfica, registrados no INPI, em 15 regiões brasileiras. A analista de Competitividade do Sebrae Nacional Carmen Sousa ressalta a importância do tema dessa edição. “Estamos conectados e o nosso projeto é reposicionar estrategicamente para o mercado nacional e internacional a cafeicultura Brasileira. Faremos isso integrando as diferentes regiões e atores da cadeia, construindo um portfólio de marcas, produtos e serviços, com o objetivo de agregar valor, gerando mais riqueza e desejo em todos os públicos estratégicos da cafeicultura Brasileira.”

“Atuamos para que o café do pequeno produtor com o registro de IG seja reconhecido ainda mais pela sua qualidade e sustentabilidade. Os cafés brasileiros diferenciados, certificados precisam ser mais valorizados no mercado interno e externo. O produtor está cada vez mais interessado em agregar valor ao produto. Já é realidade, há várias marcas ofertadas e à venda em várias cafeterias, empórios, micro torrefações, supermercados. O consumidor final é exigente e tem acesso a produtos de qualidade e com práticas sustentáveis, proporcionando acesso a experiência única, identificado em QR-code nas embalagens. Esse processo de inovação tem sido valorizado no mercado e a própria indústria tem se posicionado de forma diferente, com seus programas de qualidade, embalagens e linhas diferenciadas”, frisou.

A expectativa é que a SIC 2023 atraia, no pavilhão do Expominas, mais de 20 mil pessoas de até 40 países dispostas a se conectar e gerar oportunidades para toda a cadeia do café brasileiro no acesso a mercados, conhecimento e negócios.

Além de produtores e representantes de empresas, também participam pesquisadores, especialistas, baristas, mestres de torras e coffee lovers, conhecidos como apreciadores de café. O evento é gratuito para produtores rurais, empresas do setor e visitantes internacionais. Para pessoa física, haverá cobrança de ingresso, no valor de R$ 60. Clique aqui para se credenciar.

Experiência sensorial

O espaço do Sebrae vai promover o produtor, as regiões produtoras e o produto. Serão divulgados os cafés produzidos em regiões produtoras em que a instituição atua, entre elas, Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Paraná e Rondônia.  A analista de Competitividade conta que o visitante do estande terá uma experiência sensorial. “O público terá a chance de conhecer todo o processo de produção do café dessas regiões, a partir do cuidado que o produtor tem desde o plantio, da colheita e secagem até a xícara do consumidor final. Também vai poder degustar os cafés e ainda participar de dinâmicas, com direito a brinde especial”, enumera.

De acordo com Carmen, com apoio do Sebrae, os produtores também vão poder realizarcupping com compradores nacionais e internacionais. Além disso, o Sebrae vai oferecer gratuitamente o serviço de diagnóstico de ESG, que verifica boas práticas nos aspectos de sustentabilidade ambiental, social e governança dos negócios da empresa.

Programação

Os três dias da SIC 2023 vão permitir conexões com o que há de mais inovador no mercado de café, com compartilhamento de conhecimento entre os líderes e gestores do setor. A feira vai oferecer conteúdos, por meio de palestras, cursos, workshops, provas de café e degustações orientadas.

É o caso do debate sobre a digitalização das Indicações Geográfica que acontece no dia 8, na Sala de Inteligência de Mercado, com a presença da analista de Inovação do Sebrae Nacional Hulda Giesbrecht. Além dela, participam Antônio Carlos Tafuri, analista de produtividade e inovação da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Luciano Grassi Tamiso , COO da Agtrace, Marina Zimmermann, assessora técnica da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), e André Maltz, CEO da Agtrace.

Entre as competições, destacam-se o concurso Coffee of the Year Brasil 2023, em que os melhores cafés brasileiros da safra nova serão conhecidos (muitos deles são apoiados pelo Sebrae), o Encontro Mineiro das Cooperativas de Café – OCEMG e o Campeonato Brasileiro de Barista, cujo campeão irá representar o Brasil no campeonato mundial em 2024.

]]>
game 9f thrones - Denominação de Origem (DO) – game 9f thrones – game 9f throneshttps://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/reconhecida-mundialmente-pelo-seu-queijo-regiao-da-canastra-conquista-agora-o-registro-de-ig-no-cafereconhecida-mundial/Wed, 20 Sep 2023 12:02:58 +0000https://www.ilyyt.com/?p=16817Além do queijo premiado mundialmente pela sua qualidade, a região da Canastra, em Minas Gerais, passa a ser reconhecida agora também pelo seu café. O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) concedeu a Indicação Geográfica (IG), na espécie de Denominação de Origem (DO), ao café em grãos crus, beneficiados, torrados e moídos na localidade. No total, cerca de 1,1 mil agricultores de dez municípios serão beneficiados com a medida. São eles: Medeiros, Bambuí, Doresópolis, Pimenta, Piumhi, Capitólio, São João Batista do Glória, Vargem Bonita, São Roque de Minas e Delfinópolis.

Com esse registro, já são 108 Indicações Geográficas no Brasil, sendo 83 Indicações de Procedência e 25 Denominações de Origem, além de outros nove reconhecimentos estrangeiros. O Sebrae atua no apoio às Indicações Geográficas desde 2003, na orientação e no fomento aos produtores para alcançarem o reconhecimento desse ativo e na promoção dessas regiões e produtos únicos.

Relacionados ao café, já são 15 IG reconhecidas em todo o país: Caparaó (ES), Espírito Santo (ES), Montanhas do Espírito Santo (ES), Campo das Vertentes (MG), Canastra (MG), Matas de Minas (MG), Mantiqueira (MG), Região do Cerrado Mineiro (MG), Sudoeste de Minas (ES), Norte Pioneiro do Paraná (PR), Oeste da Bahia (BA), Alta Mogiana (SP), Região de Garça (SP), Região de Pinhal (SP) e Matas de Rondônia (RO).

-

Apoiar as regiões no processo das Indicações Geográficas, como é o caso da Região da Canastra, é o melhor caminho para empoderar os pequenos produtores, gerando renda, empregos e autonomia para o desenvolvimento dessas localidades. Um dos principais benefícios é a valorização. Isso contribui para melhorias e aumento da produção.
Hulda Giesbrecht, coordenadora de Negócios de Base Tecnológica do Sebrae.

Oproduto

Em geral, os cafés da região apresentam aroma e sabor de mel, frutas amarelas, tropicais e cítricas. A bebida tem notas de chocolate ao leite com nuances de castanha, limão-cravo e laranja. Possui ainda alta doçura, com notas de açúcar mascavo e cana-de-açúcar em equilíbrio com a acidez. O plantio na região ocorre entre outubro e dezembro, e a colheita, entre maio e setembro. O café deve ser cultivado em sistema de sequeiro (utilizando a umidade do solo).

Hoje, a região da Canastra é responsável por uma produção de 750 mil sacas de 60 quilos por ano. A atividade ocupa uma área de 33 mil hectares plantados. O presidente da Associação dos Cafeicultores da Canastra (Acanastra), José Carlos Bacili, destaca a importância do reconhecimento.

“A gente sai do anonimato e passa a ter uma identidade para agregar valor ao nosso café. O consumidor hoje procura saber a origem do produto, a cultura das pessoas, e outras informações que ele passa a ter com a denominação de origem. Com certeza vai nos ajudar na comercialização. O Sebrae foi fundamental em todo este processo para a conquista da Indicação Geográfica”, ressaltou.

O que são as Indicações Geográficas?

As Indicações Geográficas (IG) são ferramentas coletivas de valorização de produtos tradicionais vinculados a determinados territórios. Elas possuem duas funções principais: agregar valor ao produto e proteger a região produtora.

O sistema de Indicações Geográficas promove os produtos e sua herança histórico-cultural, que é intransferível. Essa herança abrange vários aspectos relevantes: área de produção definida, tipicidade, autenticidade com que os produtos são desenvolvidos e a disciplina quanto ao método de produção, garantindo um padrão de qualidade. Tudo isso confere uma notoriedade exclusiva aos produtores da área delimitada.

]]>
game 9f thrones Mapa do site

1234