jogos 03 04 - Caged; – jogos 03 04 – jogos 03 04https://www.ilyyt.comAcesse conteúdos jornalísticos, nos mais variados formatos, focados na informação como aliada das micro e pequenas empresasFri, 02 Feb 2024 22:32:00 +0000pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=6.2.4jogos 03 04 - Caged; – jogos 03 04 – jogos 03 04https://www.ilyyt.com/economia-e-politica/em-alagoas-sebrae-destaca-alta-da-abertura-de-pequenos-negocios-em-2023/Fri, 02 Feb 2024 22:32:00 +0000https://www.ilyyt.com/?p=20152O estado de Alagoas registrou a abertura de 7,5 mil micro e pequenas empresas em 2023 (mais de 20 por dia). O número é 8% superior ao ano anterior, quando foram criados 6,9 mil empreendimentos. Os dados fazem parte de levantamento do Sebrae com base no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) da Receita Federal do Brasil (RFB). Os dados foram anunciados nesta sexta-feira (2) pelo presidente da instituição, Décio Lima, durante agenda do Sebrae Pelo Brasil. Alagoas é o 14º estado visitado pelo projeto que evidencia as potencialidades dos estados brasileiros para o empreendedorismo.

No caso das novas microempresas (ME), categoria que fatura até R$ 360 mil por ano, o salto em Alagoas foi de 5,6 mil para 6,1 mil negócios entre 2022 e 2023. Já as novas empresas de pequeno porte (EPP), cujo faturamento anual vai de R$ 360 mil ao teto de R$ 4,8 milhões, os números registraram variação de 1.344 para 1.425 novas empresas no mesmo período. Juntas, ME e EPP formam as chamadas micro e pequenas empresas (MPE).

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, os dados de Alagoas mostram o compromisso que a instituição no estado tem na busca contínua do fomento ao empreendedorismo na região.

Os números revelam aquilo que alcançou essa construção extraordinária de fomento do empreendedor do povo de Alagoas, da capacitação oferecida que o Sebrae permitiu, garantindo que esta parcela significativa da economia de Alagoas, segmento dos pequenos negócios, pode ter certeza da sua grandeza, no alcance da sua existência, para não serem ativismos efêmeros, mas seguros geradores de renda.

Décio Lima, presidente do Sebrae Nacional.

Para o presidente do Sebrae, o significativo crescimento do número de novas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte é demonstrativo da melhora da economia brasileira. “Os números mostram que os empreendedores se sentem mais confiantes com os rumos da nossa economia. Eles estão mais motivados a entrar no mundo do empreendedorismo com investimentos e fazendo a economia girar”, avaliou. “Para o país, isso representa mais geração de empregos, maior arrecadação e mais dinheiro em movimentação, com inclusão social”, acrescentou.

Segundo o levantamento, a abertura de novos registros de microempreendedores individuais (MEI) ficou estável. Em Alagoas, foram 26.920 novos MEI em 2023. Somando os MEI às micro e pequenas empresas alagoanas, o total de novos pequenos negócios abertos chegou a 34,4 mil no ano passado.

Décio Lima destacou que os pequenos negócios têm sido fundamentais ao longo dos últimos anos para manter a economia brasileira em atividade. “As micro e pequenas empresas são as primeiras a reagir em momentos de crise. Graças principalmente a elas, o país consegue recuperar o nível de emprego e a geração de renda. Nossas pesquisas mostram que os pequenos negócios têm respondido por aproximadamente 7 em cada 10 empregos gerados”, avaliou.

Crédito: Julio Vasconcelos.

Agenda Pelo Brasil

Em Alagoas, o Sebrae visitou o município de Pilar, distante 30 km da capital, Maceió, para conhecer projetos inovadores no município, que venceu a categoria Cidade Empreendedora Nordeste, em 2022, com um amplo projeto de transformação social e econômica. O município foi reconhecido por iniciativas como o banco do povo e o shopping popular, que permitiram que os empreendedores pudessem ter acesso a crédito e espaço para comercializar produtos e serviços. O município também possui atuação forte no setor do turismo.

O projeto destacou ainda a atuação do estado na inovação. O Sebrae em Alagoas possui salas de atendimento empresarial no Centro de Inovação e conta com parcerias do Sesi, Senai, universidades públicas e privadas e setor produtivo. O centro possui 6.130 m² de área construída. São 42 salas para empresas de pequeno, médio e grande porte; auditório, dois galpões multiuso, biblioteca. Hoje, o Sebrae Alagoas atende 547 startups em todo estado.

“Destaco ainda que a inovação não tem mais volta, ela veio para ficar, mas ela não veio para ficar parada. Ela é um processo de revolução permanente. O que era novo hoje de manhã já ficou velho à tarde, e hoje nós sabemos que ser velho é ser analógico, ser jovem é ser digital”, completou o presidente do Sebrae durante visita ao Centro de Inovação Tecnológica, em Maceió. No local, ele visitou startups e conversou com empresários.

]]>
jogos 03 04 - Caged; – jogos 03 04 – jogos 03 04https://www.ilyyt.com/economia-e-politica/motores-da-economia-micro-e-pequenas-empresas-geraram-8-em-cada-10-empregos-em-2023/Fri, 02 Feb 2024 16:36:05 +0000https://www.ilyyt.com/?p=20149Pelo terceiro ano seguido, as micro e pequenas empresas foram as grandes protagonistas na geração de novos postos de trabalho no país. De acordo com o estudo feito pelo Sebrae a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), os pequenos negócios responderam por 8 em cada 10 empregos criados na economia em 2023.

No acumulado do ano, o Brasil alcançou um saldo de 1,48 milhão de novas contratações, o que resultou no menor patamar de desemprego registrado desde 2014. Desse total, as MPE criaram 1,18 milhão de empregos (80,1%) e as médias e grandes empresas responderam por 209,99 mil vagas, o equivalente a 14,2% do total.

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, o estudo comprova a importância fundamental que os pequenos negócios têm para a economia e para a população brasileira. “As pequenas empresas são o principal motor da nossa economia e responsáveis pela sobrevivência de 86,5 milhões de brasileiros, o que equivale a aproximadamente 40% da população do país”, comenta. “Nós estamos trabalhando, juntamente com o governo federal, para ampliar e qualificar a participação dessas empresas, que hoje representam aproximadamente 30% do Produto Interno Bruto (PIB). Acreditamos que esses números podem ser ainda melhores este ano, na medida em que a taxa Selic caia com uma velocidade maior. Com mais inovação, mais acesso a crédito e um melhor ambiente de negócios, esses empreendedores poderão contribuir ainda mais com a redução das desigualdades sociais e com o desenvolvimento sustentável”, acrescenta.

Serviços continua em alta

No acumulado do ano, o setor de Serviços liderou a criação de empregos. Entre as MPE, foram 631 mil novas vagas; já entre as MGE, o saldo foi de 181,87 mil novos empregos. Outros setores como Comércio (263,25 mil) e Construção (180,52 mil) se destacaram entre as micro e pequenas empresas, sendo que nenhum dos setores ficou com saldo negativo entre janeiro e dezembro. Já entre as médias e grandes, os outros destaques foram para a Indústria da Transformação (23,5 mil vagas) e o Comércio (13,23 mil).

Entre as atividades econômicas, o destaque no ano passado foi para “Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas” (responsável por 69 mil contratações), “Construção de edifícios” (com 58,1 mil vagas) e “Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios – hipermercados e supermercados” (com 47,9 mil vagas).

Dezembro de 2023

No último mês de 2023, a diferença entre o total de admissões e demissões gerou saldo negativo de 430 mil vagas. Esse resultado é similar ao que tem ocorrido nos últimos anos. Entre as micro e pequenas empresas, foram fechados 178 mil postos de trabalho; já entre as médias e grandes, o saldo negativo foi de 195 mil vagas. Do saldo total de postos encerrados, as MPE representaram 41,4%, enquanto as MGE corresponderam a 45,4%. Contudo, comparando o saldo negativo do último mês de dezembro com o saldo de dezembro de 2022, quando foram encerrados 455,7 mil postos de trabalho, é possível constatar que houve uma redução no número de empregos encerrados.

No último mês de dezembro, as atividades que mais contribuíram para a geração de empregos foram “Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios – hipermercados e supermercados” (com 7,6 mil vagas), “Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios” (4,8 mil empregos) e “Hotéis e similares” (3,6 novas vagas).

]]>
jogos 03 04 - Caged; – jogos 03 04 – jogos 03 04https://www.ilyyt.com/dados/pequenas-empresas-do-setor-de-servicos-lideram-a-geracao-de-empregos-em-2023/Fri, 08 Dec 2023 13:47:34 +0000https://www.ilyyt.com/?p=19028Os pequenos negócios do setor de Serviços têm sido os maiores geradores de emprego em 2023. Segundo levantamento do Sebrae, feito a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia, no período de janeiro e outubro deste ano as micro e pequenas empresas desse setor geraram 648,6 mil novas vagas de trabalho, seguidas pelas empresas da Construção (231,8 mil novas vagas) e Comércio (200,4 mil novas vagas). Sozinhas, as pequenas empresas de Serviços criaram 36% do total de empregos do país no ano.

Acesse aqui o material de divulgação, com a pesquisa completa, imagens, áudio e vídeo.

No acumulado do ano, as atividades de maior destaque têm sido “Construção de Edifícios” (74,2mil empregos), “Transporte Rodoviário de Carga” (70,5 mil vagas) e “Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas” (60,8 mil vagas). Nessas atividades, as MPE foram as que mais contribuíram, gerando, respectivamente 75,9 mil, 52,2 mil e 60,5 mil novos postos de trabalho.

Considerando apenas o mês de outubro, as MPE de Serviços também foram destaque, com o saldo líquido de 58,4 mil vagas criadas, seguidas de Comércio (37,7 mil vagas) e Construção (14,2 mil vagas). Enquanto isso, entre as Médias e Grandes Empresas, os destaques foram nos setores de Serviços (48,3 mil vagas), Comércio (11,9 mil vagas) e Agropecuária (6,2 mil vagas).

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, as empresas de Serviço têm impulsionado a geração de empregos e cumprem um papel estratégico na economia.

O setor é fundamental para o nosso país. Por englobar um grande número de atividades onde, na maioria das vezes, não há necessidade de adquirir equipamentos caros e grandes estoques para começar a empreender, o setor de Serviços funciona como a principal porta de entrada de pessoas no mundo do empreendedorismo.

Décio Lima, presidente do Sebrae.

]]>
jogos 03 04 - Caged; – jogos 03 04 – jogos 03 04https://www.ilyyt.com/dados/micro-e-pequenas-empresas-tiveram-em-setembro-o-segundo-maior-numero-de-empregos-gerados-em-2023/Tue, 07 Nov 2023 10:30:33 +0000https://www.ilyyt.com/?p=18127O saldo positivo dos empregos gerados no país continua sendo mantido com expressiva contribuição das micro e pequenas empresas (MPE). Levantamento feito pelo Sebrae a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) aponta que os pequenos negócios foram responsáveis por pouco mais de 147 mil postos de trabalho (cerca de 69,5% do total), em setembro. Esse é o segundo melhor resultado mensal do ano, ficando atrás apenas do total de vagas registrado no mês de agosto.

Ao todo, o Brasil registrou 211,7 mil novas contratações, em setembro. No acumulado do ano, o país já contabiliza 1,5 milhão de novos empregos. Desse universo, as MPE contribuíram com o saldo de 1,1 milhão de carteiras assinadas, o que representa 71% do total. Por sua vez, as médias e grandes empresas (MGE) foram responsáveis por 307,9 mil empregos, ou seja, 19,2%.

O presidente do Sebrae, Décio Lima, ressalta que os números positivos refletem a retomada da prosperidade do país.

A geração de empregos garante que o Brasil se torne novamente o país da empregabilidade, permitindo que o brasileiro volte a consumir e gerar renda. A economia do país se fortalece com um PIB de 3,1%, superávit na balança comercial, além de uma inflação controlada. O empreendedorismo é um dos caminhos para o país resgatar a dignidade e a inclusão social.

Décio Lima, presidente do Sebrae Nacional.

Serviços mantém a liderança

O setor de serviços se mantém na liderança da criação de novos postos de trabalho em setembro de 2023. Considerando o universo das MPE, foram 68,4 mil vagas preenchidas. Em segundo lugar aparece o Comércio com 37,3 mil vagas, seguido pela Construção com 19,8 mil empregos gerados. Entre as MGE, os setores de Serviços (26,5 mil), Indústria da Transformação (24,4 mil) e Comércio (6 mil) se destacaram.

No acumulado do ano de 2023, o cenário continua o mesmo com as MPE liderando em termos de criação de vagas, com destaque nos setores de Serviços (590,6 mil), Construção (218 mil) e Comércio (162 mil). Enquanto isso, nas MGE, os setores que mais se destacaram foram Serviços (177,6 mil), Indústria da Transformação (90 mil) e Construção (26 mil).

Atividades econômicas

As principais atividades econômicas, de acordo com a Classificação Nacional por Atividades Econômicas (CNAE), que mais contribuíram para a geração de empregos, entre as MPE, no último mês de setembro foram: Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (11 mil empregos gerados) e Construção de edifícios (6,6 mil empregos). Já entre as Médias e Grandes, as atividades que mais se destacaram na geração de empregos foram: Fabricação de açúcar em bruto (16,7 mil empregos gerados); Locação de mão-de-obra temporária (5,3 mil empregos gerados) e Limpeza em prédios e em Domicílios (2,9 mil empregos gerados).

]]>
jogos 03 04 - Caged; – jogos 03 04 – jogos 03 04https://www.ilyyt.com/dados/mpe-registram-em-agosto-o-maior-volume-de-empregos-gerados-em-2023/Fri, 06 Oct 2023 11:03:16 +0000https://www.ilyyt.com/?p=17401As MPE registraram, no último mês de agosto, o maior volume de empregos gerados em todo o ano de 2023. De acordo com pesquisa do Sebrae feita a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), as MPE foram responsáveis por 73% do total de vagas de trabalho criadas nesse período. Ao todo, o Brasil registrou 220,8 mil novas contratações, a segunda melhor do ano, sendo 161 mil somente nas micro e pequenas empesas.

No acumulado do ano, o país já contabiliza aproximadamente 1,4 milhão de novos empregos. Desse universo, as MPE contribuíram com o saldo de 988 mil postos de trabalho, o que representa 71,2% do total. Enquanto isso, as MGE geraram 247,5 mil empregos, correspondendo a 17,8% do total de vagas criadas.

Presidente do Sebrae, Décio Lima. Crédito: Erivelton Viana.

O presidente do Sebrae, Décio Lima, comemora o resultado. “Esse está sendo um ano fenomenal para as micro e pequenas empresas. Mantivemos um patamar positivo de empregos gerados ao longo do ano e a tendência para os últimos meses é de um crescimento ainda maior com as vagas de trabalho temporário”, comenta.

-

A confirmação de crescimento do PIB, o comportamento da inflação e a retomada do poder de compra das famílias, graças ao Desenrola Brasil, nos fazem confiar que teremos o melhor Natal dos últimos anos, com uma economia aquecida. O cenário é de otimismo e as pequenas empresas têm uma responsabilidade significativa nesse resultado.
Décio Lima, presidente do Sebrae Nacional.

Setor de Serviços continua em alta

Os setores que mais contribuíram para a geração de empregos em agosto de 2023, considerando as MPE, foram Serviços (78.904), Comércio (38.544) e Construção (25.296). Entre as Médias e Grandes empresas, os setores de Serviços (29.951), Indústria da Transformação (12.714) e Agropecuária (7.415) se destacaram. Em agosto, nenhum desses setores apresentou saldo negativo de empregos.

No acumulado de 2023, os destaques entre as micro e pequenas empresas continuam sendo os setores de Serviços (521.750), Construção (198.825), Comércio (124.967) e Indústria da Transformação (100.166). Já entre as MGE, os setores que mais se empregaram foram Serviços (152.601), Indústria da Transformação (65.716), Construção (24.983) e Agropecuária (16.537).

As principais atividades econômicas, de acordo com a Classificação Nacional por Atividades Econômicas (CNAE), que contribuíram para a geração de empregos em agosto, foram: “Fabricação de açúcar em bruto” (10.258 empregos gerados); “Locação de mão-de-obra temporária” (10.192 empregos); “Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas” (8.503 empregos gerados); “Transporte rodoviário de carga” (7.418 empregos gerados) e “Serviços combinados de escritório e apoio administrativo” (5.746 empregos gerados).

Especificamente entre os pequenos negócios, confira as atividades que mais contribuíram, para o total destacado de novos empregos foram: “Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas” (8.814 empregos gerados); “Construção de edifícios” (6.467 empregos gerados); “Transporte rodoviário de carga” (5.690 empregos gerados) e “Serviços combinados de escritório e apoio administrativo” (5.029 empregos gerados). Entre as médias e grandes empresas, as atividades se destacaram: “Fabricação de açúcar em bruto” (10.192 empregos gerados); “Locação de mão-de-obra temporária” (9.102 empregos gerados); “Atividades de vigilância e segurança privada” (3.966 empregos gerados); “Ensino fundamental” (2.302 empregos gerados) e “Transporte rodoviário de carga” (1.797 empregos gerados).

]]>
jogos 03 04 - Caged; – jogos 03 04 – jogos 03 04https://www.ilyyt.com/economia-e-politica/aviso-de-pauta-no-dia-da-mpe-sebrae-assina-acordo-com-o-governo-federal-e-divulga-dados-de-emprego-no-setor/Thu, 05 Oct 2023 12:41:16 +0000https://www.ilyyt.com/?p=17404O Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa, comemorado nesta quinta-feira (5), será recheado de boas notícias para o setor. Às 11h, o Sebrae assina acordos com os ministérios do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS) e da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos e os Correios. O objetivo das parcerias é promover o empreendedorismo e melhorar o ambiente de negócios A solenidade acontecerá na sede do Sebrae, em Brasília, às 11h, com a participação de ministros e presidentes dos órgãos.

As iniciativas contemplam o acesso ao mercado de e-commerce e internacional, a capacitação de inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais, microcrédito e compras públicas. O Sebrae também vai anunciar o volume de empregos gerados nos pequenos negócios em agosto, levantamento realizado a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Serviço:
Data: quinta-feira (5) | Horário: 11h
Local: Sede do Sebrae Nacional – SEPN Qd. 515 Bloco C Loja 32 – Asa Norte – Brasília (DF)

]]>
jogos 03 04 - Caged; – jogos 03 04 – jogos 03 04https://www.ilyyt.com/dados/pequenos-negocios-geram-80-das-vagas-de-emprego-em-julho-media-de-36-mil-postos-criados-por-dia/Tue, 05 Sep 2023 11:00:33 +0000https://www.ilyyt.com/?p=16459A participação dos pequenos negócios na geração de empregos no Brasil alcançou, em julho, o segundo melhor resultado do ano. Das 142,7 mil vagas criadas no mês, 113,8 mil foram abertas pelas micro e pequenas empresas (MPE) – o que representa quase 80% do total. Em média, as MPE geraram 3.670 vagas de emprego por dia em julho. O índice só é inferior, em 2023, ao registrado em janeiro, quando as MPE foram responsáveis por 81% do montante de contratações.

Os números são de um levantamento feito pelo Sebrae, a partir de dados do Sistema do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que considera o saldo de empregos (contratação já descontadas as demissões). De acordo com o estudo, o resultado alcançado pelas MPE em julho de 2023 foi proporcionalmente melhor que o registrado no mesmo mês do ano passado, quando os empreendimentos de micro e pequeno porte responderam por 70% das vagas de trabalho.

No acumulado de 2023, o Brasil já conta com 1,2 milhão de empregos gerados, sendo 71% (825,4 mil) nas micro e pequenas empresas. Já as médias e grandes acumularam 191,7 mil novos empregos, representando 16,4% das contratações.

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, o resultado confirma as boas expectativas dos empreendedores com a retomada da economia.

“A partir de indicadores cada vez mais positivos, somados ao controle da inflação e à perspectiva de continuidade na queda da taxa de juros, os donos de pequenos negócios estão retomando o otimismo. É a confiança de que o país é capaz de acelerar o ritmo de crescimento que faz os empreendedores criarem vagas de emprego”, comenta Décio.

Serviços continuam em alta

Os grandes destaques entre as MPE, em julho, foram os setores de Serviços (46,7 mil vagas), Construção (26,1 mil vagas) e Comércio (25 mil vagas). Entre as médias e grandes empresas, com exceção do Setor de Construção (-789 vagas), todos os demais setores apresentaram saldos de empregos positivos.

Similar ao que ocorreu em junho, salvo por uma pequena mudança na ordem das duas primeiras atividades, as principais ocupações no mês passado entre as MPE foram construção de edifícios (8,6 mil vagas), restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (5,8 mil), e transporte rodoviário de carga (4,4 mil). Já para as médias e grandes empresas, as principais CNAEs foram fabricação de álcool (3,4 mil), atividades de atendimento hospitalar (2,6 mil) e atividades de apoio à agricultura (2,2 mil).

No acumulado de janeiro a julho deste ano, continuaram liderando entre as micro e pequenas empresas as atividades de construção de edifícios (58,5 mil vagas), o transporte rodoviário de carga (36,7 mil) e restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (34,2 mil). Para as médias e grandes empresas, no acumulado no mesmo período, as atividades de atendimento hospitalar (18,3 mil vagas), construção de rodovias e ferrovias (13,8 mil) e ensino fundamental (12,9 mil) continuaram liderando, à semelhança do que ocorreu em junho.

]]>
jogos 03 04 - Caged; – jogos 03 04 – jogos 03 04https://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/primeiro-semestre-tem-construcao-transporte-e-restaurantes-como-grandes-geradores-de-empregos/Wed, 16 Aug 2023 12:52:01 +0000https://www.ilyyt.com/?p=15887A construção de edifícios, o transporte rodoviário de carga e os restaurantes, juntamente com outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas lideram a lista de atividades econômicas que mais geraram empregos entre as micro e pequenas empresas no primeiro semestre de 2023. Cada uma delas somou, respectivamente, 50 mil, 32 mil e 28 mil novos postos de trabalho no período. Os dados são de levantamento conduzido pelo Sebrae com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Completam a lista os serviços combinados de escritório e apoio administrativo (22 mil), os negócios ligados ao ensino fundamental (17 mil), os empreendimentos do ramo da construção de rodovias e ferrovias (14 mil), os serviços de catering, bufê e outros serviços de comida preparada (11 mil), as atividades de atendimento hospitalar (8 mil) e o cultivo de café (1 mil).

De janeiro e junho deste ano, as micro e pequenas empresas do setor de Serviços geraram mais de 394 mil contratações, seguidos pelas empresas de construção (147 mil), Indústria da Transformação (72 mil) e Comércio (60 mil). Nesses seis primeiros meses do ano, as micro e pequenas empresas (MPE) já criaram quase 710 mil vagas de trabalho, o que corresponde a aproximadamente 70% do total de empregos formais. O quadro se assemelha aos primeiros semestres de 2021 e 2022.

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, a tendência de números positivos na economia deve incentivar ainda mais a contratação de mão de obra por pequenos negócios, a exemplo das atividades de construção, transporte de carga e alimentação.

“Temos presenciado um aquecimento no setor de obras no Brasil e esperamos uma safra recorde de diversos produtos, segundo anunciado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). São fatores que sinalizam uma continuidade na criação de postos de trabalho no país”, argumenta.

Em junho

Somente em junho de 2023, o Brasil teve um saldo positivo de 157 mil novos postos de trabalho, sendo que as MPE responderam por 72% do total (113 mil). Já as médias e grandes tiveram uma participação de 13% no total de vagas (19 mil vagas). Em comparação ao mês anterior (maio), foram gerados quase 5 mil empregos a mais nas micro e pequena empresas. Já em comparação a junho de 2022, as vagas das micro e pequenas empresas representam 9 pontos percentuais a mais no geral, passando de 63% para 72% do total.

Lista completa

Confira abaixo a lista com as atividades econômicas que mais contrataram no acumulado do ano, nas micro e pequena empresas:

  1. Construção edifícios (50 mil)
  2. Transporte rodoviário de carga (32 mil)
  3. Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (28 mil)
  4. Serviços combinados de escritório e apoio administrativo (22 mil)
  5. Ensino fundamental (17 mil)
  6. Construção de rodovias e ferrovias (14 mil)
  7. Serviços de catering, bufê e outros serviços de comida preparada (11 mil)
  8. Atividades de atendimento hospitalar (8 mil)
  9. Cultivo de café (1 mil)
]]>
jogos 03 04 - Caged; – jogos 03 04 – jogos 03 04https://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/com-alta-do-turismo-micro-e-pequenas-empresas-do-setor-voltam-a-investir-e-gerar-empregos/Mon, 07 Aug 2023 13:12:56 +0000https://www.ilyyt.com/?p=15645As boas expectativas para a retomada do turismo brasileiro na pós-pandemia seguem impulsionando os pequenos negócios e gerando empregos no país. Dados divulgados pelo Ministério do Turismo (Mtur), com base nas informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), apontam que, no primeiro semestre deste ano, o turismo já criou mais de 105 mil novos postos de trabalho. Diante do cenário positivo, os donos de micro e pequenas empresas (MPE) fazem investimentos para garantir maior qualidade dos serviços e o aumento da demanda.

Em Parnaíba, no Piauí, a empresária Denise Campos e o marido Junno Sousa, administram juntos o Grupo VM, responsável pelo complexo pioneiro de empreendimentos voltados ao turismo na região. A agência de turismo VM Experience, integrante do grupo, já faturou 30% a mais do que no ano passado. Além disso, por causa da alta temporada, eles contrataram mais pilotos para as embarcações disponíveis para aluguel e atividades do off road. Já o restaurante Faustino, inaugurado há menos de um ano, já contratou neste ano, 13 colaboradores, entre garçons, cumins, profissionais de limpeza e do administrativo.

“Nós acreditamos muito no turismo do Piauí, integrado à Rota das Emoções, que também inclui o Ceará e o Maranhão. Prova disso é que compramos três novas embarcações e fazemos investimentos contínuos na marina, que aos finais de semana fica lotada. Acreditamos nesta retomada e que podemos crescer ainda mais”, afirma a empresária.

Pousada Aymara Lodge, em Poconé, região norte do Mato Grosso. Foto: divulgação.

Em Mato Grosso, na região do Pantanal Norte, o casal Lisa Canavarro e Giuliano Bernardon são donos da pousada Aymara Lodge, em Poconé, desde 2019. Após o período crítico da pandemia e do fogo que se alastrou pela região, em 2020, o pequeno negócio já conseguiu recuperar-se das perdas e está investindo em melhorias no local. De acordo com a empreendedora, em comparação com o ano passado, houve um aumento de 20% da procura.

A pousada que começou a funcionar com cinco colaboradores, atualmente já emprega 19 pessoas, sendo que quatro delas foram contratadas neste ano. A empreendedora destaca que enfrenta dificuldades para encontrar mão de obra qualificada e comprometida, mas que isso não impede o crescimento do negócio.

“Nosso negócio é voltado para o público estrangeiro, mas também começamos a receber muitos brasileiros, o que não era muito comum antes da pandemia. Este ano, a procura melhorou muito. Estamos investindo na estrutura e na qualidade dos serviços. Conseguimos comprar nosso próprio barco para os passeios e estou aguardando o orçamento para construir uma torre de observação”, contou Lisa.

Balneário Estrela do Formoso, em Bonito (MS), oferece atendimento day-use com diversas atividades em contato com a natureza. Crédito: divulgação.

O empresário Lucas Alves Ferreira, que comanda o Balneário Estrela do Formoso, em Bonito (MS), também acredita na retomada sustentável do turismo na região. Mesmo depois das fortes chuvas do começo do ano atrapalharem o negócio, ele se prepara para receber mais turistas até o final de 2023. Para não depender do rio e sofrer com os impactos do clima local, o empresário lançou novos produtos, como passeios de quadriciclos com contemplação, o que exigiu a contratação de dois novos funcionários.

“O começo do ano foi totalmente fora do que havíamos planejado e isso impactou um pouco a velocidade dos investimentos, mas isso não significa que vamos reduzir o nosso ritmo. Tivemos uma demanda reprimida no primeiro semestre, mas estou apostando que o clima será melhor daqui para frente. Também estou acompanhando a movimentação da economia e a intenção é contratar mais pessoas”, ressalta.

Momento de oportunidades

A coordenadora nacional de Turismo do Sebrae, Ana Clévia Guerreiro, ressalta que o país vive um clima favorável com a retomada do setor e da marca Brasil no exterior. Segundo ela, a retomada sustentável do turismo brasileiro precisa de ações de todos os atores envolvidos, seja da iniciativa privada, seja do governo e entidades representativas.

“É um clima que contagia quem empreende e também quem gosta de viajar. Então, é uma oportunidade para reposicionar o setor de modo a atender às expectativas desse turista, seja brasileiro ou estrangeiro, que quer encontrar um serviço de qualidade, viver experiências memoráveis e se encantar com a nossa identidade tão singular”, frisa.

Ela destaca ainda que o Brasil possui múltiplas vocações para o turismo, com capacidade de agradar a todos os gostos e acrescenta que o fato do país oferecer uma variedade de atrativos em um mesmo território e destino também favorece o desenvolvimento do setor, formado por 97% de pequenos negócios.

]]>
jogos 03 04 - Caged; – jogos 03 04 – jogos 03 04https://www.ilyyt.com/economia-e-politica/cerca-de-70-dos-empregos-gerados-este-ano-estao-nas-micro-e-pequenas-empresas/Fri, 04 Aug 2023 12:00:57 +0000https://www.ilyyt.com/?p=15621As micro e pequenas empresas (MPE) continuam mantendo o fôlego e sustentando o saldo positivo de empregos no país. Levantamento feito pelo Sebrae, a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), mostra que, este ano, as MPE já criaram quase 710 mil vagas de trabalho, o que corresponde a aproximadamente 70% do total de empregos formais gerados no período (pouco mais de 1 milhão de vagas). O quadro é semelhante ao que já havia sido registrado nos primeiros semestres de 2021 e 2022.

O presidente do Sebrae, Décio Lima, ressalta que a criação de empregos no país poderia ser ainda melhor, caso os pequenos negócios tivessem uma participação maior nas compras públicas.

“Ampliar a participação das micro e pequenas empresas nas compras governamentais – que hoje é de 30% – é uma das bandeiras do governo do presidente Lula. Este pode ser um poderoso instrumento para impulsionar ainda mais os pequenos negócios”, comenta. “Entretanto, mesmo enfrentando uma taxa de juros absurda e que inibe o investimento, as micro e pequenas empresas deram, mais uma vez, uma contribuição inestimável à manutenção do emprego no país”, acrescenta Décio Lima.

Entre janeiro e junho deste ano, os pequenos negócios do setor de Serviços geraram mais de 394 mil contratações, seguidos pelas empresas de construção (147 mil), Indústria da Transformação (72 mil) e Comércio (60 mil).

Em todos os segmentos, as micro e pequenas empresas apresentaram saldo positivo no mês de junho de 2023, já entre as Médias e Grandes Empresas, houve o registro de saldos negativos no Comércio (-5.275) e Construção (-2.544). Os destaques entre as MGE ficaram com as empresas de Serviços (18.302), Agropecuária (5.812) e Indústria da Transformação (2.055).

Junho

No mês passado, o Brasil teve um saldo positivo de 157 mil novas vagas, onde as micro e pequenas empresas representaram 72% do total (113 mil). Já as médias e grandes tiveram uma participação de 13% no total de vagas (19 mil vagas). Em comparação ao mês anterior (maio), foram gerados quase 5 mil empregos a mais, nas micro e pequena empresas. Já em comparação a junho de 2022, as vagas das micro e pequenas empresas representam 9 pontos percentuais a mais no geral, passando de 63% para 72% do total.

Números do Caged:

•     No 1º semestre de 2023, o Brasil acumulou de 1,02 milhão de postos de trabalhos formais criados.

•     As MPE foram responsáveis por 709 mil (quase 70%) das novas contratações.

•     As micro e pequenas do setor de Serviços criaram 394 mil novos empregos no acumulado de 2023.

•     Em junho deste ano, as MPE geraram 113 mil empregos.

]]>
jogos 03 04 Mapa do site

1234