sambafootAtualização
Compartilhe

Micro e pequenas empresas tiveram, em setembro, o segundo maior número de empregos gerados em 2023

Levantamento feito pelo Sebrae mostra que, no acumulado do ano, os pequenos negócios são responsáveis por 71% de todas as vagas criadas no país
PorRedação
sambafootAtualização
Compartilhe

O saldo positivo dos empregos gerados no país continua sendo mantido com expressiva contribuição das micro e pequenas empresas (MPE). Levantamento feito pelo Sebrae a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) aponta que os pequenos negócios foram responsáveis por pouco mais de 147 mil postos de trabalho (cerca de 69,5% do total), em setembro. Esse é o segundo melhor resultado mensal do ano, ficando atrás apenas do total de vagas registrado no mês de agosto.

Ao todo, o Brasil registrou 211,7 mil novas contratações, em setembro. No acumulado do ano, o país já contabiliza 1,5 milhão de novos empregos. Desse universo, as MPE contribuíram com o saldo de 1,1 milhão de carteiras assinadas, o que representa 71% do total. Por sua vez, as médias e grandes empresas (MGE) foram responsáveis por 307,9 mil empregos, ou seja, 19,2%.

O presidente do Sebrae, Décio Lima, ressalta que os números positivos refletem a retomada da prosperidade do país.

A geração de empregos garante que o Brasil se torne novamente o país da empregabilidade, permitindo que o brasileiro volte a consumir e gerar renda. A economia do país se fortalece com um PIB de 3,1%, superávit na balança comercial, além de uma inflação controlada. O empreendedorismo é um dos caminhos para o país resgatar a dignidade e a inclusão social.

Décio Lima, presidente do Sebrae Nacional.

Serviços mantém a liderança

O setor de serviços se mantém na liderança da criação de novos postos de trabalho em setembro de 2023. Considerando o universo das MPE, foram 68,4 mil vagas preenchidas. Em segundo lugar aparece o Comércio com 37,3 mil vagas, seguido pela Construção com 19,8 mil empregos gerados. Entre as MGE, os setores de Serviços (26,5 mil), Indústria da Transformação (24,4 mil) e Comércio (6 mil) se destacaram.

No acumulado do ano de 2023, o cenário continua o mesmo com as MPE liderando em termos de criação de vagas, com destaque nos setores de Serviços (590,6 mil), Construção (218 mil) e Comércio (162 mil). Enquanto isso, nas MGE, os setores que mais se destacaram foram Serviços (177,6 mil), Indústria da Transformação (90 mil) e Construção (26 mil).

Atividades econômicas

As principais atividades econômicas, de acordo com a Classificação Nacional por Atividades Econômicas (CNAE), que mais contribuíram para a geração de empregos, entre as MPE, no último mês de setembro foram: Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (11 mil empregos gerados) e Construção de edifícios (6,6 mil empregos). Já entre as Médias e Grandes, as atividades que mais se destacaram na geração de empregos foram: Fabricação de açúcar em bruto (16,7 mil empregos gerados); Locação de mão-de-obra temporária (5,3 mil empregos gerados) e Limpeza em prédios e em Domicílios (2,9 mil empregos gerados).

  • Caged;
  • Emprego