6800 xt phantom gamingAtualização
Compartilhe

Em Angola, presidentes Lula e João Lourenço testemunham acordo do Sebrae com o INAPEM

Assinatura na Angola integra pacote de 11 acordos internacionais
PorRedação
6800 xt phantom gamingAtualização
Compartilhe

O Sebrae e o INAPEM, instituição congênere da Angola, formalizaram, nesta sexta-feira (25), acordo para implementar ações de apoio ao empreendedorismo e em prol da inclusão dos pequenos negócios. A assinatura aconteceu no Palácio do Governo de Angola e teve a presença dos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e João Lourenço, que firmaram diversos acordos entre os dois países. A agenda reforça o olhar do governo federal para o empreendedorismo como vetor de desenvolvimento econômico e social.

O chefe de estado do país africano apontou a reaproximação com o Brasil como ponto de virada: “Estamos comprometidos em transformar nossos potenciais em efetiva riqueza, reduzindo a fome, a miséria e o analfabetismo. O Brasil entrará para a romper esse ciclo de subdesenvolvimento”.

Os desafios do crescimento e da inclusão social deram o tom da fala do presidente Lula. Além das parcerias voltadas à agricultura, saúde e infraestrutura, ele lamentou o distanciamento entre os dois países nos últimos anos.

A visita à Angola é o retorno do Brasil à África. Lamentavelmente, os governos anteriores abandonaram as relações com os países africanos. Vamos mudar isso. Iremos atingir um novo patamar de relação estratégica. A revolução agrícola que Angola precisa fazer vai ter a cooperação do Brasil, por exemplo.

A parceria com o INAPEM foi celebrada pelo presidente do Sebrae, Décio Lima. Segundo ele, as duas instituições compartilham uma pauta consolidada, mas que permanece estratégica, ao garantir que os pequenos negócios continuem tracionando o PIB e promovendo a inclusão social nas respectivas nações.

Temos a grande responsabilidade de lutar por políticas públicas à altura desse desafio. O empreendedorismo representa uma alternativa legítima para integrar milhões de pessoas em situação de pobreza. O caminho é esse: promover a geração de emprego, renda e igualdade de oportunidades.

Ao definir os pequenos negócios como protagonistas do desenvolvimento sustentável, Lima defendeu o aprimoramento de políticas públicas para a melhoria do ambiente de negócios, a formalização e educação empreendedora para o desenvolvimento institucional. “No espírito da melhor cooperação Sul-Sul, tenho a convicção de que o acordo nos trará grandes resultados no futuro próximo. Nossos empreendedores farão a sua parte, buscando oportunidades de negócios e promovendo o comércio bilateral”, completou Lima.

Na prática

No quadro do protocolo assinado, ainda este ano, 15 técnicos do INAPEM serão enviados ao Brasil para serem capacitados em matérias diversas que poderão contribuir no processo de transformação em curso na instituição angolana. Fruto do mesmo acordo, o Sebrae enviará especialistas das diversas áreas para trabalharem com o INAPEM no âmbito dos desafios já identificados pela parte angolana.

Segundo o presidente do INAPEM, João Nkosi, este memorando vai impulsionar a transformação vigente.
“Assinamos este memorando com o objetivo de intensificar o processo de reforma em curso no INAPEM face aos desafios associados ao fomento do empreendedorismo, cooperativismo, startups e nas micro, pequenas e médias empresas”, declarou.

  • África
  • Angola
  • INAPEM