prime gaming fifa 22https://www.ilyyt.comAcesse conteúdos jornalísticos, nos mais variados formatos, focados na informação como aliada das micro e pequenas empresasWed, 07 Feb 2024 21:25:14 +0000pt-BRhourly 1 https://wordpress.org/?v=6.2.4prime gaming fifa 22https://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/galo-da-madrugada-conta-com-adereco-feito-por-artesas-de-tacaratu-inspirado-na-etnia-pankararu/Wed, 07 Feb 2024 20:35:02 +0000https://www.ilyyt.com/?p=20235O Galo da Madrugada, símbolo do maior e mais aguardado bloco de Carnaval do mundo, ganhará as ruas repleto de referências. Entre elas, uma homenagem aos povos originários: a escultura gigante terá seus pés coloridos pelas Varandas da Paz, peças feitas em fibra de tecido, com técnica de macramê inspirada nas tradições dos pankararus que habitam o distrito de Caraibeiras, na cidade sertaneja de Tacaratu. Elas ganharam vida pelas mãos das artesãs da Cooperativa dos Artesãos Têxteis de Tacaratu (Coopertêxtil), a partir de uma consultoria realizada pelo Sebrae/PE, que contou com a participação do artista plástico Leopoldo Nóbrega, responsável pela versão 2024 do Galo, batizado de Galo da Paz.

Tacaratu é conhecida como a Terra das Redes. Apesar da tradição, as varandas da paz surgem como um produto inovador, nunca visto na região. Essa inovação é fruto de uma das etapas da consultoria que envolveu uma imersão na aldeia indígena pankararu, para ter contato com os traços, cores e a simbologia cultural desse povo. O produto original foi criado para decorar a lateral de novas redes produzidas pela Coopertêxtil. Após receber o convite para assinar o Galo da Paz, Leopoldo Nóbrega idealizou, ao lado das artesãs, a criação da peça em tamanho cenográfico, com cerca de 4 metros, para representar as penas das patas do Galo da Madrugada.

Valorizar as Varandas da Paz no Galo da Madrugada faz parte de um projeto que eu iniciei, desde que assinei o primeiro Galo, de tornar esse símbolo um propulsor da visibilidade da produção local, valorizando grupos como o dessas artesãs de Caraibeiras e Tacaratu. Em breve, vamos fazer uma grife de produtos inovadores com essas mulheres.

Leopoldo Nóbrega, artista plástico.

No mesmo instante em que o Galo ocupar a Ponte Duarte Coelho e ganhar as ruas de Recife, a coleção Varandas da Paz – Galo da Madrugada 2024 estará disponível para a venda. A peça tem as cores dos anéis olímpicos, que representam a união dos cinco continentes. A Coopertêxtil produz e comercializa peças têxteis e tem como produto mais forte as redes. A criação das Varandas da Paz trouxe novas práticas de produção para as mulheres, que substituíram os nós pelo tear.

“O Sebrae apoia a Coopertêxtil há dois anos, na formalização e gestão. Agora, estamos apoiando a comercialização dos seus produtos no mercado, seja com a divulgação em feiras e outros eventos ou divulgando esses produtos. Por meio do Sebraetec, uma consultoria que é voltada para ajudar os pequenos negócios a inovar, investimos na criação das Varandas da Paz”, explica a gerente da Unidade Sebrae no Sertão Central, Moxotó, Pajeú e Itaparica, Rossana Webster. O projeto de criação da Varanda da Paz – Coleção Galo da Madrugada 2024 contou com orçamento de R$ 70 mil reais, disponibilizados por meio de acordo de parceria com a Prefeitura de Tacaratu.

]]>
prime gaming fifa 22https://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/afoxe-filhos-do-congo-cria-catalogo-de-moda-com-as-sobras-dos-tecidos-das-roupas-do-carnaval/Wed, 07 Feb 2024 17:38:07 +0000https://www.ilyyt.com/?p=20226Para transformar os processos de produção das peças do Carnaval mais sustentáveis, o Afoxé Filhos do Congo apostou no uso dos resíduos têxteis – sobras dos tecidos oriundos da confecção das roupas do bloco de Carnaval – para criar um catálogo de moda, além da produção de roupas e acessórios colocados para comercialização.

Por isso, o aprimoramento das ações empreendedoras no Afoxé Filhos do Congo tem sido uma preocupação da presidente, Liu Silva. A partir da atuação como empresária, ela também levou sua experiência. “Sou a primeira presidente mulher do afoxé e trouxe um olhar administrativo na busca por melhorias. Sempre busquei capacitação para minha empresa no Sebrae, logo, não seria diferente com o Afoxé”, explica.

Afoxé Filhos do Congo e Moda Afro. Foto Darío G. Neto/ASN BA.

Inicialmente, a partir da consultoria em Turismo Criativo, do Sebrae, Liu recebeu orientações da analista técnica do Sebrae em Salvador Hirlene Pereira para a criação da rota de turismo Afro Congo, Bahia. A rota inicia com a visita à Pedra de Xangô, Patrimônio Cultural de Salvador. Em seguida, os visitantes são recebidos no Afoxé Filhos do Congo, pela rainha do Afoxé, com atividades como momento griô, roda de capoeira, vivência musical e percussiva, gastronomia e exposição do afroempreendedorismo. Como desdobramento da consultoria, também foi possível trabalhar a gestão do negócio.

“Dentro do trabalho de Turismo Criativo, nós orientamos também sobre a gestão do bloco. Trabalhamos desde o processo de precificação, organização e de como eles poderiam usar a própria roupa para desenvolver uma moda. Eles são um bloco de afoxé, que sai na avenida e precisa aumentar o número de associados. Isso passa por um processo de gestão”, explica Hirlene Pereira.

Segundo Liu, as roupas do afoxé são criadas com tecidos próprios, trabalhando a história-tema do desfile de carnaval no tecido. Agora, as sobras ganharam um novo destino sustentável.

“As nossas roupas – não chamamos fantasia, chamamos de roupa – são construídas com tecidos em cima do nosso tema do carnaval. Neste ano, nosso tema é Tereza de Benguela, então, o artista plástico cria a história no pano. Nós produzimos as roupas do Carnaval, depois, com as sobras, retalhos, rolos, construímos as peças, usando também tecidos dos carnavais dos anos anteriores”, conta. No espaço voltado para o afroempreendedorismo no afoxé, são comercializadas canetas, chaveiros, anéis, customização de roupas e bolsas.

Roupa da Afoxé Filhos do Congo e Moda Afro. Foto Darío G. Neto/ASN BA.

Segundo Liu, a ideia de produção das roupas do afoxé tem o interesse de que os foliões continuem a usá-las. A partir disso, surgiu a ideia da criação do catálogo de moda. “Não fazemos abadá com camisa e short, que é mais fácil. A gente vai à costureira, ao cortador para construir as peças que podem ser usadas não só no carnaval, mas no dia a dia. Temos esta preocupação e, através desta preocupação, nós construímos nossa grife”.

“Pegamos o nosso tecido, com apoio voluntário da nossa estilista, Alice Pinto, que criou as peças para o catálogo, que também foi feito por um voluntário e saiu maravilhoso. Lançamos a grife no Carnaval passado e o catálogo na Vale do Dendê”, relembra.

Segundo Hirlene, a ideia da criação do catálogo surge da necessidade de pensar também na sustentabilidade associada ao desenvolvimento do negócio. “O que nós trabalhamos com o afoxé era como dar uma destinação bacana às roupas que foram utilizadas em edições anteriores, para construir uma moda criativa. Nós orientamos o afoxé nesse processo, com informações sobre marketing, que resulta na ação deles de promoção a valorização das culturas negras. É importante que estejam organizados e disponíveis durante o carnaval.

Bloco

Há 45 anos, o Afoxé Filhos Congo, um dos mais antigos da Bahia, desfila no Carnaval de Salvador homenageando personalidades da história da população negra. Neste ano, “Tereza de Benguela: A grande líder do quilombo do piolho” será o tema do bloco. Além das atividades realizadas no período do Carnaval, durante o ano, o afoxé desenvolve atividades culturais, educativas, sociais e capacitação em diversas áreas, além de ministrar debates, seminários, conversas, entre outros. A atuação com empreendedorismo tem sido uma das formas de aumentar a renda com a valorização e o fortalecimento do afoxé.

]]>
prime gaming fifa 22https://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/empreendedor-transforma-tradicao-carnavalesca-dos-caretas-de-triunfo-em-um-bom-negocio-para-o-ano-todo/Wed, 07 Feb 2024 14:32:06 +0000https://www.ilyyt.com/?p=20221Nascido na área rural de Triunfo, cidade do Sertão de Pernambuco, a 400 km do Recife, Abraão Alves, de 52 anos, fundou a Treca Caretas Alto Astral em 1982, aos 10 anos, época em que foi morar na área urbana. Treca é o nome que se dá a um grupo de caretas, personagens mascarados que, há séculos, alegram o carnaval sertanejo. Por 30 anos, o trabalho manteve-se pelo amor à cultura. Há dez anos, Abraão, que é o enfrentante, ou seja, líder do grupo, se formalizou e passou a atender diversos mercados de cultura, com exibição de espetáculos, figuração em peças publicitárias e venda de artesanato.

Na tradição do Carnaval de Triunfo, os Caretas têm uma ocasião reservada só para eles. A segunda-feira é consagrada como o Dia dos Caretas. O momento é esperado tanto pelos moradores quanto pelos turistas que chegam à cidade, atraídos pela manifestação cultural. Essas figuras usam chapéu com adornos, máscara, calça, camisa e o relho, um chicote que, ao cortar o ar e tocar o chão, produz um som peculiar que virou a marca dos mascarados. Abraão aprendeu com os mais velhos o significado da manifestação e começou a praticá-la. “Essa tradição é passada de forma oral, de pai para filho, para não deixar morrer. Esse é o orgulho da gente”, explica.

Perpetuar uma tradição cultural exige tempo e cuidado. Equilibrar a dedicação aos Caretas com o trabalho para garantir a renda sempre foi um desafio para Abraão. Ele conciliava as apresentações com o emprego na Prefeitura de Triunfo. Em 2014, descobriu que a tradição carnavalesca dos Caretas poderia se tornar um empreendimento para gerar renda ao longo de todo o ano. “A gente recebia convite das empresas, mas quando perguntavam se emitíamos nota fiscal e dizíamos que não, eles diziam que não podiam nos contratar”, recorda.

Ao saber que poderia se formalizar e emitir nota fiscal, Abraão encontrou a solução para aliar tradição e empreendedorismo. “Agora, a gente se apresenta e emite a nota direitinho”, explica. Após a formalização, o céu foi o limite para a Treca Alto Astral. O grupo já se apresentou em eventos privados, hotéis e espaços de lazer, além de outras cidades, como Serra Talhada, Floresta, Araripina, Petrolina e Belém do São Francisco, chegando até a outros estados, como Bahia e Ceará. “Têm vezes que a gente não consegue dar conta de tanta agenda”, pontua.

Outro mercado que o grupo acessou foi o da publicidade. Os Caretas da Treca Alto Astral estrelam chamadas de carnaval de grandes emissoras de televisão de Pernambuco. “A gente viajou para Olinda e foi gravar o comercial, recebemos o nosso cachê com a nossa nota fiscal”, comemora.

Triunfo fica a pouco mais de mil metros acima do nível do mar. Essa localização confere à cidade um clima frio, destoando das cidades vizinhas, que costumam apresentar temperaturas quentes ao longo do dia e mais frias à noite. Essa condição faz com que a cidade seja um endereço procurado por turistas o ano todo. Além da beleza geográfica, a cultura é outro atrativo da cidade – e é aí que o artesanato feito com peças da indumentária da Treca Alto Astral ganha espaço.

Abraão Alves, 52 anos, fundou a Treca Caretas Alto Astral em 1982.

Eles produzem chapéus, máscaras e relhos e distribuem nas lojas de artesanato para o consumo dos turistas. “O pico dos nossos negócios é o Carnaval, mas nós nos apresentamos e os turistas compram o nosso artesanato o ano todo. Hoje, o lucro gerado garante o sustento de alguns membros e complementa a renda de outros”, informa Abraão. Pela importância histórica e cultural, a Treca Alto Astral ganhou um espaço especial no Museu A Casa do Careta de Triunfo e recebeu uma homenagem na Câmara de Vereadores da cidade.

]]>
prime gaming fifa 22https://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/pequenos-negocios-movimentam-o-carnaval-gasto-medio-previsto-e-de-r-320-por-foliao/Mon, 05 Feb 2024 20:45:58 +0000https://www.ilyyt.com/?p=20178Além de ser uma celebração tradicional, o mercado carnavalesco representa uma oportunidade significativa para os pequenos negócios, impulsionando a economia criativa e sustentável em diversas comunidades. A economia criativa, que engloba 56 setores no empreendedorismo, como moda, audiovisual, música, artesanato, artes cênicas e visuais, desempenha um papel crucial na promoção da inovação e da diversidade cultural durante o Carnaval. Esse setor representa 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) de Mato Grosso, totalizando cerca de R$ 200 milhões anuais.

No entanto, apesar do potencial, há uma parcela de empreendedores que não reconhece a capacidade de seus negócios. Segundo Felipo Abreu, gestor do Núcleo de Economia Criativa da Gerência de Competitividade do Sebrae/MT, muitos empreendedores enfrentam dificuldades para estruturarem seus negócios de maneira consistente e sustentável ao longo do ano, o que, por muitas vezes, os levam a perder a oportunidade de lucrar com o Carnaval.

“Temos um perfil majoritariamente informal nessas cadeias produtivas e eles muitas vezes não veem a formalização do trabalho como oportunidade de negócio. Embora talentosos e criativos, muitos empreendedores enfrentam desafios para estruturar seus negócios de maneira consistente e responsável e acabam se afastando do Carnaval. Pensando nisso, a equipe do Sebrae/MT já entrou no circuito para alinhar com eles estratégias e direcionamentos voltados a essas questões. Já fizemos uma primeira reunião e seguiremos com processos de validação e constituição de soluções para esse setor”, ponta Felipe.

Em relação ao pré-Carnaval 2024, o Sebrae/MT busca desenvolver soluções para auxiliar os empreendedores na gestão financeira de seus blocos e eventos. Essas soluções incluem capacitações e consultorias especializadas, adaptadas às necessidades específicas de cada grupo, como escolas de samba e blocos.

“A ideia é proporcionar uma jornada completa, abordando questões como gestão, prestação de contas e captação de recursos, visando fortalecer o setor do Carnaval ao longo de todo o ano”, explica Felipo Abreu. Para mais informações sobre a nova capacitação, entre em contato com o atendimento da Agência Cuiabá pelo telefone 0800 570 0800.

Oportunidades e estratégias

De acordo com uma pesquisa do Sebrae/MT, mesmo em meio às mudanças e adaptações causadas pela pandemia, cerca de 5% dos entrevistados planejam celebrar o Carnaval de 2024. Deles, 61% devem participar dos blocos de rua, enquanto 28% optarão por festas privadas, destacando a resiliência cultural e o potencial econômico do Carnaval para os empreendedores locais.

Felipo ressalta que a formalização desses empreendedores é essencial para abrir portas para obter acesso a recursos e empréstimos especializados que podem impulsionar o crescimento do negócio.

“O fortalecimento dos pequenos empreendimentos, seja na área de alimentação, figurinos, música ou turismo, é crucial para o desenvolvimento sustentável do mercado do Carnaval, especialmente considerando a interconexão entre essas áreas. Então, é muito importante que os empreendedores percebam sua importância como agentes influentes nesse mercado e busquem a formalização de seus negócios. A formalização não apenas garante acesso a recursos e financiamentos para impulsionar o crescimento, mas também permite a criação de uma rede de desenvolvimento que viabiliza a atuação ao longo do ano, e não apenas durante o período do Carnaval”, afirma o gestor de Economia Criativa.

O gasto médio previsto é de R$320 por folião, com a alimentação representando 72% dos gastos, seguida por fantasias e adereços, com 15%. Esses dados ressaltam a importância dos pequenos negócios no fornecimento de produtos e serviços que sustentam a atmosfera festiva do Carnaval. Edinete Bezerra, uma costureira que atua há 29 anos, é um exemplo desse empenho e já organizou seu estoque e a agenda para atender às demandas dos clientes.

“Trabalho com projetos e com calendário de datas e eventos para conseguir atender às demandas. Já tenho clientes fechados que pediram a personalização de abadás. Neste período, faço estoque de tecidos brilhoso, com lantejoulas, fitas coloridas e vários outros adereços e, para mim, é muito importante estar formalizada pelas vantagens em taxação fora do estado e segurança previdenciária”, explica Edinete que se tornou MEI em 2011.

Economia circular

Além de impulsionar a economia, é importante destacar o papel dos pequenos negócios na promoção da sustentabilidade e responsabilidade social durante o Carnaval. Iniciativas como o uso de materiais recicláveis (inclusive na confecção de roupas e acessórios), a redução do desperdício de alimentos e a valorização da mão de obra local contribuem para um Carnaval mais sustentável e inclusivo.

Para se destacar no setor de eventos, o pequeno empresário pode contar com o apoio do Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), que oferece conteúdo infográfico para a criação de eventos sustentáveis e até de evento neutro. A analista técnica Laís Campos, que é responsável pelas ações alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) do CSS, destaca o Carnaval como uma oportunidade para promover práticas mais sustentáveis e conscientes.

“A neutralização de eventos pode envolver diversas estratégias, desde a redução do uso de materiais não-recicláveis até a compensação das emissões de carbono geradas pelo evento. Existem diferentes métodos de neutralização, e é essencial que os organizadores estejam abertos a explorar essas opções e implementá-las de forma eficaz”, explica Laís.

Ao promover eventos mais neutros e sustentáveis é de grande importância integrar uma abordagem socialmente responsável, que se alinha às práticas ESG (Ambientais, Sociais e de Governança). Isso inclui promover a diversidade, o respeito e a inclusão, especialmente em questões de gênero e raça. “É hora de repensar a forma como organizamos e participamos dos eventos carnavalescos, buscando torná-los mais neutros, sustentáveis e inclusivos”, finaliza.

]]>
prime gaming fifa 22https://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/bordadeiras-de-alagoas-sao-selecionadas-para-desfile-em-nova-york/Mon, 05 Feb 2024 19:10:19 +0000https://www.ilyyt.com/?p=20161Esta sexta-feira (9) será um dia especial para um grupo de artesãs de Penedo, cujo trabalho em bordado participará da New York Fashion Week (NYFW), um dos eventos de moda mais importantes e influentes do mundo. A peça é da Associação Pontos e Contos, que é acompanhada pelo Sebrae Alagoas desde a sua fundação. Além das bordadeiras penedenses, outra marca alagoana liderada peladesigner Alina Amaral também foi selecionada para o mesmo desfile.

A Pontos e Contos foi indicada por Marcela Bacchin, da empresa Teçá Impacto, e a peça enviada aos Estados Unidos levou cerca de cinco meses para ser concluída. Toda colorida, foram gastos nela 700 metros de linha na produção.

O bordado feito à mão participa do Desfile da Diversidade da NYFW, uma iniciativa do Consulado-Geral do Brasil em Nova York. O evento tem o intuito de destacar a riqueza, a autenticidade e a inovação da moda brasileira. O desfile também vai incentivar os pequenos negócios brasileiros, em um ambiente que prioriza a inclusão e a colaboração intercultural.

A expectativa é enorme para o grande dia. Estamos muito felizes com a oportunidade. O reconhecimento pelo nosso trabalho é sempre muito gratificante, pois só mostra que estamos fazendo a coisa certa. Já tem gente querendo saber mais detalhes sobre a peça, quanto custa em dólar. Sinto que depois dessa visibilidade, nós vamos trabalhar um bocado.

Francisca Lessa, comemora a presidente da Pontos e Contos.

Marina Gatto, gestora de Artesanato do Sebrae Alagoas, conta que a associação de bordadeiras já acessou quase todas as consultorias que a instituição oferece. “O Sebrae atende o grupo desde a sua concepção, há muitos anos. Nós acompanhamos toda a sua evolução. Elas são ganhadoras do TOP 100, maior premiação do Artesanato do Brasil, realizada pelo Sebrae, em várias edições do prêmio. São referência de bordado e como grupo associativo para todo o estado de Alagoas”, afirma.

A analista conta que o bordado da Pontos e Contos tem uma rica história e tradição cultural que retrata o cotidiano e a população ribeirinha do Rio São Francisco. “Essa participação em um dos maiores eventos de moda do mundo não apenas valoriza e ajuda a preservar as técnicas tradicionais, mas também oferece uma oportunidade de ampliar o reconhecimento global da arte e cultura de Alagoas”, diz Marina Gatto. Além disso, ela lembra que a inclusão do artesanato alagoano em eventos de moda pode abrir portas para outros artesãos locais. “Essa visibilidade proporciona novas oportunidades de negócios e promove o desenvolvimento econômico de uma atividade sustentável do nosso estado”, avalia.

Para Jair Galvão, secretário de Turismo e Economia Criativa de Penedo, a participação da Pontos e Contos em um evento internacional significa colocar a cidade, mais uma vez, em posição de destaque internacional por sua essência criativa e cultural. “A Cidade Criativa da UNESCO terá a justa representação de seu artesanato premiado em um dos maiores eventos de moda do planeta, motivo de orgulho para os penedenses”, comemora.

]]>
prime gaming fifa 22https://www.ilyyt.com/cultura-empreendedora/conteudos-jornalisticos-nas-redes-sociais-ganham-destaque-no-premio-sebrae-de-jornalismo/Acesse conteúdos jornalísticos, nos mais variados formatos, focados na informação como aliada das micro e pequenas empresasTue, 24 May 2022 21:32:57 +0000 hourly 1 https://wordpress.org/?v=6.2.4prime gaming fifa 22 Mapa do site

1234