Dragão Tigre
Compartilhe

Sebrae/PR divulga estudo com tendências para o ramo de alimentos e bebidas

Material é gratuito e reúne oito pontos para auxiliar na competitividade do setor
PorASN PR
Dragão Tigre
Compartilhe

Está disponível para empreendedores ligados a restaurantes, bares, aplicativos, produtores, indústrias e comércios o Tendências: Especial Alimentos e Bebidas. Lançada em maio, a publicação apresenta novas formas de consumo, histórias, estilos de vida dos clientes e formas de tornar um negócio mais sustentável. Com dados e oito tendências voltadas ao segmento, o material vem para auxiliar o empresário a estar atento às novidades do mercado.

O material possui um espaço chamado “Data Guia”, onde o usuário terá acesso a um panorama do mercado, com gráficos e informações sobre elementos que o público considera importante na compra de alimentos, além de dados sobre tributação dos governos para alimentos saudáveis e sustentáveis. De acordo com a pesquisa do Good Food Institute: Plant-based Food 2021, o faturamento de produtos a base de plantas no País passou de U$ 48,8 milhões, em 2015, para US$ 82,8 milhões, em 2020, aumento de 69%. A estimativa é de que, em 2025, o setor alcance U$ 131,8 milhões.

Segundo o consultor do Sebrae/PR, Mauricio Reck, a busca por conhecimento vem com o propósito de auxiliar quem está em busca ou já empreende.

“As tendências são fundamentais para auxiliar na formação de estratégias e podem trazer reflexões pensando no futuro dos negócios. Incorporar ações inovadoras no planejamento e na estratégia podem ser o diferencial para o sucesso”, afirma.

Na prática

Criada em 2018, a Invebra teve a maior nota nas auditorias do Selo Alimentos do Paraná, em 2022. A chancela é voltada para negócios que realizam ações com foco na qualidade e segurança dos processos de produção.

O diretor da Invebra, Leandro Duarte, ao lado de produtos comercializados pela empresa. Foto: divulgação.

A empresa de Curitiba, tem como missão a fabricação de produtos 100% vegetais e apresenta alternativas para quem possui restrições alimentares. O diretor Leandro Duarte conta que a diferenciação dos itens comercializados é um meio de atingir outros clientes.

“No ramo de produtos alimentícios, a inovação geralmente vem nos processos produtivos, novas fórmulas ou maneiras de vender e apresentar o item na prateleira. É importante tentar observar pontos como esse durante o desenvolvimento, aliando isso às informações nutricionais e preço de venda”, explica.

A VeGhee, manteiga vegana, e a Queijoquinha Ralada, feita com semente de girassol, tem o potencial de atender o público que busca produtos do setor, de forma prática e conveniente.

Outra empresa com foco em sustentabilidade é a Cípria Ervas & Especiarias, situada em Curitiba. Criada em 2010, surgiu da ideia de comercializar diferentes temperos raros, que não existiam no Brasil. A importação teve início com a baunilha em fava orgânica de um projeto social na Uganda, produzida em cooperativa local e promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para combater o tráfico de “diamantes de sangue”, extraído em uma zona de guerra, localizada na África.

Sede da empresa está situada em Curitiba.

O criador da empresa, Saulo Calliari, explica que o negócio vende 1,7 toneladas de produtos, mensalmente, para cerca de 15 mil clientes ativos em todo o Brasil e outros 11 países. Ao todo, a loja tem à disposição 600 tipos de ingredientes, ervas e especiarias diferentes, provenientes de 70 países. As compras podem ser feitas de forma on-line ou na loja física, em Curitiba.

“Desde o início, buscamos encontrar a melhor forma de levar o nosso propósito. Desde a embalagem pensada para ser sustentável, o cuidado com a escolha de produtores locais e a garantia de um preço justo”, comenta.

A empresa pratica também o comércio justo, modelo de negócios que coloca os seres humanos e a sustentabilidade social, econômica e ambiental das sociedades no centro. Além disso, outro propósito é o de dignificar o trabalho, promover o respeito ao meio ambiente e uma gestão responsável e sustentável dos recursos naturais.

“Nosso maior cuidado é com quem produz. Procuramos identificar quem nos fornece os itens e não ter exploração humana, o que tende a ser comum no ramo de especiarias. E a nossa divulgação é orgânica, com bom atendimento e produtos para que o cliente tenha uma boa experiência”, completa Saulo.

Esse e outros materiais ligados à tendências estão disponíveis gratuitamente no site: www.sebraepr.com.br/tendencias/